Construindo uma casa, construindo um bairro

Periferia é aquele lugar que a realidade do aluguel pode ser implacável ou os sonhos podem virar realidade, quando as pessoas conseguem comprar um terreno onde construirão sua casa própria.

Muitas vezes esse sonho começa com um único cômodo e banheiro, tudo sem reboco para apressar a saída definitiva do aluguel. Assim, esse valor começa a ser investido em material de construção.

Há programas de televisão que reformam uma casa em uma semana. Mas a realidade na periferia é que a construção e o acabamento da casa própria podem levar anos a fio.

Se a pessoa fica desempregada, a obra fica paralisada, até que se consiga um novo emprego. Por outro lado, a construção pode crescer mais rápido se um filho se casa, ou se vai chegar um novo bebê, isso já é motivo o bastante para aumentar mais um cômodo acima ou nos fundos, se ainda houver espaço.

Quando você consegue realizar o sonho da casa própria na periferia você passa a ser a rainha do eufemismo: “É longe, mas é nossa. Não tem asfalto hoje, mas um dia vai ter. Não tem escritura, mas em breve vamos conseguir. O ônibus é sempre cheio, mas não gastamos mais com aluguel.”

Esqueça os mini mercados de grandes redes. Aqui são mercadinhos dos moradores. Esqueça as marcas “premium”. Aqui você vai encontrar o item mais barato, mesmo que seja de marca desconhecida. Bairros mais novos também não tem agências bancárias, nem bancas de jornais.

Hoje como nova classe C nós recebemos visitas de empresas de televisão a cabo. As antenas contrastam com o vermelho dos tijolos das casas não acabadas por fora, mas com TV a cabo do lado de dentro. As empresas de telefonia ainda não conseguem levar internet banda larga para todo o bairro.

Periferia é o lugar onde bares, salões de cabeleireiros e igrejas evangélicas competem espaços. Os salões de beleza não oferecem descontos em sites de compras coletivas, são simples, muitas vezes ocupam um cômodo da casa da cabeleireira.

As poucas paróquias são construções simples. Enquanto as igrejas católicas dos bairros maiores fazem excursões para Israel, aqui a excursão é para Aparecida do Norte. As igrejas evangélicas se espalham nos menores salões. As religiões convivem lado a lado porque homens, mulheres e crianças precisam da fé nos dias melhores, fé no crescimento do bairro.

One Response to “Construindo uma casa, construindo um bairro”

  1. Oju Oyin 17 Junho, 2014 at 4:47 # Responder

    É bem assim mesmo.
    Toda periferia tem sua identidade que vai além daquilo que a define enquanto espaço.
    E, felizmente ou não, onde a simplicidade habita, dificilmente se vê tanta descrença no outro, pois todos ou boa parte estão no mesmo barco, mesma situação.
    Bom texto. #BlackBeijos

Deixe uma resposta