O governo de São Paulo (SP) anunciou no dia 17 de junho que irá disponibilizar para famílias de baixa renda um vale gás. O pagamento será feito em três parcelas de R$ 100, a cada dois meses, sendo a primeira já neste mês de julho.

O auxílio compõe o Plano de Segurança Alimentar e do novo Programa Bolsa do Povo do governo estadual.

De acordo com as regras estabelecidas, terão direito ao benefício famílias com renda de até R$ 178, que integram o Cadastro Único do governo federal, que não recebem o Bolsa Família e que residem nas periferias do estado de São Paulo.

Segundo o governo, serão beneficiadas 100 mil famílias (cerca de 500 mil pessoas beneficiadas) residentes em comunidades e favelas de diversos municípios paulistas.

Para saber se você tem direito a esse auxílio basta acessar os sites www.valegas.sp.gov.br ou https://www.bolsadopovo.sp.gov.br/.

Em que contexto isso acontece?

A crise econômica, potencializada pela pandemia, tem afetado as famílias mais pobres. O contexto é de gente sem renda, tendo que sobreviver em meio a alta no preço dos alimentos e de serviços essenciais para sobrevivência da população mais pobre. O desemprego ultrapassa a marca de 14 milhões no país.

Esse cenário vem acompanhado do aumento no gás de cozinha, que em São Paulo foi reajustado em cerca 5,5%, com o preço do botijão de 13K chegando a custar R$ 90 em algumas regiões.

A conta de luz também foi reajustada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), com aumento de 52% na vermelha patamar 2. O anúncio foi feito no dia 29 de junho.

Em São Paulo, o preço da Cesta Básica aumentou quase 20% desde abril do ano passado. Esse custo representa 98,6% do salário mínimo do brasileiro, de acordo com pesquisa feita pelo Procon-SP e pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

O levantamento feito por essas organizações aponta que o preço da cesta básica, que na cidade de São Paulo teve novo reajuste em 30 de abril, correspondendo a R$ 1.030,47, o equivalente a 98,6% do salário mínimo nacional de R$ 1.045.

Ao menos 55,2% dos lares brasileiros conviveram com algum grau de insegurança alimentar no final de 2020, e 9% deles vivenciaram insegurança alimentar grave, ou seja, passaram fome durante a pandemia. Os dados são do Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar no Contexto da Pandemia da covid-19 no Brasil, desenvolvido pela Rede Brasileira PENSSAN (Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar).

Como isso atinge você?

Sem renda, muitas famílias tiveram que recorrer ao fogão à lenha devido ao preço alto (cujo reajuste vem sendo recorrente) e dificuldades financeiras, conforme matéria veiculada pela Agência Mural de Jornalismo das Periferias.

Diante desse cenário, o vale gás está longe de resolver o problema estrutural econômico enfrentado pelas famílias mais vulneráveis, que, como vimos, precisam de gás, mas também ter o que cozinhar. No entanto, pode representar mais um alento para a população mais pobre que está vivendo no limite.

Veja também:

Nós, mulheres da periferia está com uma campanha de financiamento recorrente no Catarse. Apoie o jornalismo independente feito por mulheres, apoie o Nós. Acesse catarse.me/nosmulheresdaperiferia para nos apoiar.