Olá! Aqui quem fala é ela, a Bruxa Preta! Mas, para você que ainda não me conhece, vamos de apresentação. Meu nome é Pamela Ribeiro, tenho 28 anos, sou taróloga, astróloga, terapeuta reikiana, bruxa urbana e favelada.

É importante que você saiba que o meu trabalho consiste na integração da espiritualidade num ponto de vista favelado, e principalmente, decolonial, ou seja, aqui pautamos as nossas percepções de vista por vias de uma autoconhecimento que tenha como propósito um olhar transgressor e de consciência social.

Para começarmos

Vamos pensar no céu do Brasil para o mês de Julho. Não estou aqui para iludir ninguém, a astrologia, para além do que dizem as más bocas, não tem ideal de transformar a nossa vida num filme de fantasia, neste caso, sem nenhuma noção da realidade que nos cerca. O seu é costurado seguindo as influências do aqui e agora na terra, e no nosso caso, mais precisamente, Brasil.

Sendo assim, com tudo esclarecido, vamos pensar que o Sol estará em Câncer até o dia 21 de Julho, ou seja, vamos iniciar falando desse comecinho de mês, que mal conhecemos mas já consideramos pacas! (ou não…)

O que precisamos entender sobre o signo de Câncer no céu neste momento, é que ele é muito mais do que todo o drama estigmatizado que criamos sobre ele. Câncer é o signo que tem como regência a Lua, com essa informação, o acesso ao mundo sutil fica extremamente palatável para nós, e além disso, falamos desse movimento como um encontro com a nossa casa, base, família, passado, consequentemente, ancestralidade e pertencimento.

Gosto de pensar nesse primeiro contato como a retomada ao corpo ancestral, e pensando no Brasil, vamos falar sobre território e origem? Sim, a terra em que vivemos é terra indigena, assim, é preciso assimilar que esse papo de retomada é sobre honrar aqueles que vieram antes e seus enfrentamentos, logo, é importante pensar que os gritos por uma noção de terra longe do olhar catequizador se fará extremamente presente.

Até porque, temos uma conversa bem desconfortável rolando entre Saturno e Urano, onde o Senhor do Tempo nos puxa para um olhar maniqueísta sobre o que entendemos da vida, sobre o que foi construído enquanto sociedade “brasileira”, com Urano questionando até certo ponto, quem é essa sociedade, quem a faz e como romper com qualquer tipo de repressão?

E a partir disso, Júpiter Retrógrado, nos fazendo entender que as leis só podem ser assimiladas se houver alguma reforma palpável para o povo. E antes de que haja mesmo essa compreensão, passamos pelas crises, crise hídrica, crise humanitária, crise, e mais crise até captar que não tem melhor sem olhar subversivamente para um coletivo e a terra ancestral: os povos indígenas, povo preto, povo marginal. O povo.

Aí, que temos a oposição entre Marte e Saturno, Marte sendo significador maior das lutas, lembrando que, (se é que dá para esquecer), estamos enclausurados, e muito cansados de uma caminhada que não nos tira do lugar, gerando revolta, e mais manifestações contra um governo e sistema que não se sustenta, sendo online ou na rua, a gente fala, a gente expressa a raiva, a gente fica feroz, além do mais,  é Marte em Leão, né? E ele ruge.

A nível pessoal

Será um período em que será pedido para que nós tenhamos cuidado com as nossas ações, afinal, quando o Sol entrar em Leão, dia 22 de Julho, teremos uma papo rolando aqui entre Marte e Vênus, também em leão. E dá-lhe aquele cuidado com o ego, com as nossas necessidades básicas, e a do outro. Partindo do pressuposto que tais aspectos ficam oposto a Saturno, tendendo a nos colocar na linha no momento em que começarmos com nossos estrelismos. 

É aquilo, tudo com equilíbrio dá bom! Até porque, se formos pensar pelo lado positivo, haverá uma força crescente para que passemos a agir mais pelas nossas vontades, nos colocando em primeiro lugar, antes de qualquer coisa!

Então, você que sempre se olha como aquelu não merecedor, o momento é de tacar essa energia para bem longe, valorizando o seu trajeto como quem diz, “eu sei o que passei para chegar até aqui”. Ou seja, definitivamente, não estaremos levando desaforo para casa, e pode ser um bom momento para que passemos a dar voz às crianças, e a nossa criança interior, aos hobbies e prazeres escondidos, que pedem para sair.

O que você precisa saber?

A oposição de Marte e Saturno fica até o dia 05 de julho, aí começa a oposição de Vênus com Saturno até o dia 11 de Julho, nossas relações serão pautadas dentro de um pensamento do que é duradouro, o que pode ser bom se não nos deixarmos limitar, e tornar esse ponto de vista um grande sabotador que não nos permite aproveitar novas oportunidades. Mercúrio entra em Câncer no dia 11 de julho, e a comunicação fica fluída, sensível, tímida e emocional, porém, vai para Leão, no dia 27 de Julho, e aí faltam papas nas línguas. Dia 21, Vênus entra no signo de Virgem, (mas será bacana um post só sobre esse temido posicionamento, não?), dia 22, Sol estará em Leão, e 28 de Julho, Júpiter volta para o signo de Aquário, e a gente volta a pensar na expansão do bem maior de maneira disruptiva.

Ufa! Tem bastante coisa para acontecer, viu!

E não adianta querer fugir, porque o céu dá o recado, e o papo é retíssimo: que encaremos as nossas profundezas, buscando alternativas harmônicas, dentro do que está em nossas mãos.

Espero que vocês tenham gostado, me sigam nas redes sociais @abruxapreta e até o próximo post!

———————————————————————————————————————————–

  • Moradora da periferia de Osasco, regição metropolitana de São Paulo. Terapeuta reikiana, taróloga, astróloga, bruxa Urbana e favelada. Autora do portal “A Bruxa Preta”, onde escreve sobre espiritualidade, misticismo, e universo holístico numa perspectiva decolonial e subversiva.