A gente tá que não se cabe! Hoje, o Nós, mulheres da periferia tem a alegria de dizer que o projeto “Desconstruindo Estereótipos”, criado com o objetivo de discutir nosso espaço na mídia e como nos enxergamos em sua abordagem, foi um dos escolhidos para o VAI 2015! A verba faz parte das políticas da Secretaria de Cultura de São Paulo, que desde 2003 vem colaborando com o fortalecimento dos fazedores, criadores e coletivos das perifas!

Foto registrada no evento de lançamento do coletivo, em maio de 2014  / Crédito: Claudia Souza

Foto registrada no evento de lançamento do coletivo, em maio de 2014 / Crédito: Claudia Souza


Para todxs nós, que acreditamos na força da criatividade vinda das bordas da cidade, o VAI representa a possibilidade de continuar fortalecendo essa grande rede de lutas do dia a dia. Estamos felizes por Nós e por tantos nomes conhecidos que vimos na lista, como a Casa das Crioulas, da querida Manoela Gonçalves, e tantos outros nomes e propostas interessantes.
Queremos continuar construindo nossas narrativas com nossa própria voz, mãos e visões. E sabemos o quanto a independência financeira é uma meta constante e difícil de ser alcançada. Portanto, toda ajuda é bem-vinda e todo incentivo traz mais vigor, força e entusiasmo para a galera que encontra na correria do cotidiano e, para além dos trabalhos remunerados, tempo para se dedicar ao que ama e acredita ser importante para si e seu entorno.
O Projeto

O Desconstruindo Estereótipos é um projeto direcionado para escolas públicas, pensando em um público a partir do ensino médio, e para associações de mulheres nos bairros. Falando de mulher para mulher, de mulher para menina, para aqueles que estão onde a mudança realmente acontece e precisa acontecer! Onde as ideias sempre têm espaço para outras novas ideias.
Nesse trampo, faremos oficinas sobre a abordagem da mulher periférica na mídia e, como resultado, apresentaremos uma exposição interativa para o final do ano.
Para Nós, mulheres da periferia, a escola é o lugar onde um novo jeito de pensar a sociedade ganha mais força, assim como as associações são os locais onde a organização e o pensar feminino desabrocha. Por isso, esses são os ambientes que escolhemos! É lá que estamos. É pra lá que nós vamos!
O poder da fala é transformador! Agora vamos fazer ainda mais barulho. Vamos ecoar por aí! Vamos continuar nossa caminhada mais empoderadas. Sim! O financeiro abre portas e traz ainda mais qualidade!