Por Pam Ribeiro, a Bruxa Preta

Outubro chegou e os movimentos astrológicos estão bem potentes, alguns mais que outros. Agora é hora de dar vida ao que almejamos com aquele olhar catalisador de um bom sol em Libra.

O que eu quero dizer? Não é apenas sobre fazer a vida acontecer sem colocar limites em você e naqueles que estão à sua volta. É preciso ser ponta firme e pé no chão sobre aquilo que se quer e escolher de vez o que faz sentido ou não para o seu caminho.

 

Aprender a dizer não, não apenas dizendo que vai aprender. Deixar o passado no passado, e dar voz à nossa rota de sua vida na beleza deste signo.

É óbvio que quero começar falando sobre o tão temido Mercúrio Retrógrado, que inclusive, está no signo de Libra. Nesse momento, é muito possível que você já tenha visto inúmeros textos de como esse movimento irá influenciar em nossa comunicação, aparelhos tecnológicos quebrando, ruídos e mais ruídos no ar. De fato, é um período que nos pede cautela: olhe os contratos a serem assinados mais de uma vez se for preciso.

Para além do que já sabemos, é importante entender que as retrogradações falam muito sobre reformulações, essas que tratam do nosso íntimo, e como presumimos construir nossa mensagem com aqueles que fazem parte de nossa vida de maneira que não no anulemos, nem anulemos o outro. Não é sobre incitar brigas, até porque, nos olhos de libra, o que se enxerga, se enxerga de forma harmônica e diplomática.

Porém, sejamos sinceros, estamos cansados de tanta diplomacia e de engolir tanto sapo, não? Libra, que apesar de nos colocar nesta onda de cuidado e cautela nas tretas que nos envolvemos pode pedir que erguemos nossa voz, coisa que não fizemos lá atrás. É estranho dizer isso, sabendo da retrogradação, né? Eu venho aqui, e digo para que você fale mesmo!

É hora de se permitir ao erro, não suprimi-lo. Sufocando-se como se desta maneira pudesse de fato, impedir algo, que no final, sabemos que não está sendo impedido. Encarar o passado com o brilho que o signo nos dispõe. É óbvio que é importante você levar em consideração o que tem comunicado e como foi a sua relação com as mensagens que passou lá atrás, o que poderia fazer diferente agora?

Logo, neste período, há muito o pedido do “fecha a boquinha”, “se resguarda”, “não diga”, “não fale”. O cuidado que se deve ter nesta narrativa é com a maneira como você pretende falar com o outro. É o famoso “o que não gostaria de ouvir para mim, não digo da mesma forma ao outro.”

Não é sobre se esconder nas colinas e esperar o movimento passar, mas olhar para o que você tem comunicado, principalmente, para si mesmo.

 

Até porque, pensando em contexto social, muitos de nós já vivemos há muito tempo em pleno silêncio ou sendo silenciade apenas por nossa existência.

A real é que o Mercúrio Retrógrado é o último dos nossos problemas, pois temos um Saturnão retrógrado em aquário, pedindo um tato maior sobre a maneira como interagimos com o que nos é coletivo, enquanto pertencimento, e para que assim administremos melhor nossa concepção sobre o todo, que está para além do nosso umbigo. Urano em touro gritando que não dá só para ser rebelde, mas tem que organizar a rebeldia, ela precisa fazer sentido.

Os tempos são de encarar o papo reto que está sendo mostrado para todes sem cair na ilusão, fazendo a nossa parte, dentro do que está ao nosso alcance. Estamos chegando nos finalmentes e cenas finais deste capítulo de 2021, então não orna mais o estilo Alice No País Das Maravilhas.


Moradora da periferia de Osasco, região metropolitana de São Paulo. Terapeuta reikiana, taróloga, astróloga, bruxa urbana e favelada. Autora do portal “A Bruxa Preta”, onde escreve sobre espiritualidade, misticismo, e universo holístico numa perspectiva decolonial e subversiva.

Temas: