Por Tamiris Gomes do Blog Mural
Agora, no Brasil, o feminicídio é considerado crime hediondo. No dia a dia, no trabalho e no transporte público, a mulher está sujeita a assédios e discriminação de gênero. Para conter esse tipo de ocorrência, a cidade de Poá, na Grande São Paulo, lançou uma campanha chamada #BusãoSemAbuso, no dia 5 de março.
“A culpa não é do ônibus cheio, é da sua falta de respeito”. Esse é o recado trazido nos anúncios fixados na parte traseira de todos os ônibus circulares do município. A campanha tem o objetivo de orientar as passageiras a denunciarem atos de violência dentro do transporte.

Os anúncios são fixados na parte traseira de todos os ônibus circulares do município.


A ação faz parte das atividades em homenagem ao Mês da Mulher, e vai durar até o fim de abril. Segundo a prefeitura, a inspiração veio da cidade de Curitiba (PR), que produziu uma campanha semelhante em novembro do ano passado.
Não é raro conhecer alguém que já tenha passado por uma situação constrangedora no coletivo lotado. Nathália Martins, 20, moradora da Vila Júlia, dá o exemplo. “Uma vez cara ficou encostando em mim e conheço várias amigas que passaram por isso.”
“A campanha é um ótimo meio de conscientização, mas é preciso lembrar que o transporte cheio é campo propício para o abusador agir. A prefeitura não deve se isentar desse fato, também”, acrescenta.
A artesã Tamilis Gabrielly de Souza, 19, moradora de Nova Poá usa ônibus diariamente na cidade. “Tendo um governo que só atende as necessidades da população por meio de reivindicações, foi uma boa iniciativa.” Porém, ela também questiona a má qualidade do transporte na região. “Às vezes ficamos 30 minutos esperando o ônibus”, diz.
De acordo com a Secretaria Municipal da Mulher de Poá, a denúncia deve ser feita por meio da Central de Atendimento à Mulher, pelo número 180. Além disso, a pasta também desenvolve projetos de acompanhamento jurídico e psicológico.