A reportagem multimídia “O Drama do Encarceramento – Retratos da Pandemia”, vencedora do 12º Prêmio Jovem Jornalista Fernando Pacheco Jordão  de 2020surgiu da inquietação frente aos impactos da pandemia dentro dos presídios brasileiros.

A produção é um retrato das violações cometidas nos espaços de reclusão e mostra como elas afetam 748 mil detentos no Brasil, bem como seus familiares e os funcionários das penitenciárias nacionais.

Realizada por  24 pessoas de diferentes áreas da comunicação e estados do país, a reportagem multimídia é dividida em 4 vertentes que estão presentes no cotidiano das pessoas que vivem em cárcere: o superencarceiramento, o preso, o funcionário e a família. Para cada um constam ilustrações, fotos, linha do tempo, infográfico,  áudios, dentre outros tipos de mídia.

Como desfecho da pesquisa, foi publicado o documentário Isoladas, com duração de 15 minutos, que conta a história de mulheres (Raquel Marques, Jessica da Rocha, Lúcia Assis e Eveline Araújo) de homens que estão em cárcere, e como está sendo enfrentar essa difícil realidade em meio à pandemia, que dividem como é aguardar o dia para saber notícias, já que a visitação foi proibida para conter a disseminação do vírus.

 

O prêmio

Idealizado pelo Instituto Vladimir Herzog, em 2009, o Prêmio Jovem Jornalista Fernando Pacheco Jordão acontece uma vez ao ano e tem objetivo de oferecer aos estudantes de jornalismo (e demais cursos de comunicação) a oportunidade de desenvolverem um trabalho jornalístico na prática, desde o começo da pauta até a realização final da reportagem.

A iniciativa é uma homenagem aos jornalistas Fernando Pacheco Jordão, amigo de Herzog, que atuou na redação de importantes meios da imprensa nacional, incluindo rádios, jornais de circulação nacional e TVs, e sempre se preocupou com o desenvolvimento dos jovens profissionais de imprensa. E também ao próprio Vladimir Herzog, cuja vida foi dedicada a promover um jornalismo de qualidade, verdadeiro e, acima de tudo, responsável.

Em 2020 as inscrições do concurso aconteceram em agosto, com tema central sobre a pandemia do coronavírus. Foram realizadas conferências remotas ministradas por jornalistas e especialistas para colaboração do desenvolvimento da reportagem, como desenvolver uma pauta, pesquisa prévia, a busca e seleção das fontes. Na segunda etapa do projeto, os estudantes inscritos foram organizados em grupos para iniciarem as atividades da reportagem em formatos e suportes de livre escolha.

Em 2020 ao todo foram 10 grupos que produziram reportagens diferentes e você pode conferi-las aqui.

Leia mais: 

Saudade Mundão: histórias de mulheres da Cadeia Pública de Franca

Temas: