“Você conhece Dona Carolina?”. A indagação é uma das frases que abre o documentário Nós, Carolinas, produzido por Nós, mulheres da periferia e que terá exibição gratuita no Espaço Itaú de Cinema Frei Caneca no próximo sábado, 29, às 11h. Gratuita, a distribuição dos ingressos será realizada às 10h30.
Após a exibição, as co-diretoras do curta e integrantes do coletivo, Jéssica Moreira e Regiany Silva, irão participar de debate sobre o processo de criação do filme, com mediação de Ana Helena. “Para nós, é muito importante falar sobre a questão de gênero e raça por meio de uma perspectiva educacional, já que o espaço escolar é um dos lugares onde podemos incidir na criação de uma ideologia menos racista e sexista, assim como criar base para uma sociedade mais justa”, aponta Jéssica.

Dona Carolina Augusta de Oliveira  / crédito: Vinicius Bopprê

Dona Carolina Augusta de Oliveira / crédito: Vinicius Bopprê

Crédito: Dona Carolina, uma das entrevistadas


A sessão faz parte do projeto Afroeducação no Cinema em SP, uma iniciativa realizada entre o Clube do Professor e o Espaço Itaú de Cinema que, desde 2011, vem contribuindo com a discussão  da temática negra brasileira e incidindo em prol de uma real aplicação da Lei Federal 10.639/03, que exige a inclusão do ensino de História e Cultura Afro-Brasileira no currículo das escolas.
Um dos poucos cineclubes da cidade que exibe exclusivamente filmes que tenham relação com a temática negra brasileira, o espaço é aberto a todas as pessoas, mas atrai principalmente educadores e educadoras interessados no assunto. Além do Nós, Carolinas, serão exibidos ainda os filmes Elekô (Mulheres de Pedra -RJ) e Bambas – o filme Anná Furtado – SP). 
Sobre o Nós, Carolinas
Este é o primeiro documentário realizado pelo grupo e apresenta vivências de mulheres moradoras de quatro regiões diferentes da capital paulista. Durante a exibição do vídeo, o público transita entre bairros e experiências de vidas relatadas em primeira pessoa.
Racismo, solidão, maternidade e a busca da autoestima são alguns dos temas levantados sobre as condições de ser mulher, negra e periférica. As entrevistadas, que têm entre 17 e 93 anos, embora possuam trajetórias diferentes, estão conectadas por elementos cotidianos, como os impactos do machismo e desigualdades raciais e sociais ainda presentes no Brasil.
Serviço
Exibição Nós, Carolinas na Sessão Afroeducação no Cinema em SP
Data: 29/4 (sábado)
Horário: entrega dos ingressos às 10h30
Local: Espaço Itaú de Cinema Frei Caneca, Shopping Frei Caneca – Rua Frei Caneca
Para mais informações, acesse aqui o evento no Facebook