No Dicas da Semana de hoje, quero destacar a obra de uma das mulheres que é uma grande inspiração para nosso trabalho: Carolina Maria de Jesus, escritora que ganhou destaque por ser negra e favelada, mas que, mais que isso, inscreveu poesia no cotidiano e mostrou o Brasil de um jeito único na literatura.

Quer conhecê-la melhor? Vem com a gente!

Exposição “Um Brasil para os brasileiros”

Neste sábado, dia 25 de setembro, o Instituto Moreira Salles exibe, em sua sede de São Paulo, a exposição “Carolina Maria de Jesus: um Brasil para os brasileiros”. Entrelaçando diferentes linguagens, a mostra apresenta a trajetória e a produção da escritora.

A seleção reúne aproximadamente 300 itens, entre fotografias, matérias de imprensa, vídeos e outros documentos. Inclui também obras de cerca de 60 artistas, parte comissionadas, que dialogam com os temas investigados por Carolina.

A curadoria é do antropólogo Hélio Menezes e da historiadora Raquel Barreto com  assistência da historiadora da arte Luciara Ribeiro. A mostra conta ainda com o trabalho de pesquisa da crítica literária e doutora em Letras Fernanda Miranda.

A mostra apresenta as reflexões de Carolina de Jesus (1914-1977) ao longo de sua trajetória, da infância na cidade de Sacramento (MG), no contexto pós-abolição da escravatura, passando por sua chegada à capital paulista, pelo lançamento e pela repercussão de seus livros, até o fim de sua vida, em Parelheiros (SP).

O título da mostra — Um Brasil para os brasileiros — remete a dois cadernos originais de Carolina, desde 2006 sob a guarda do IMS, utilizados na publicação ‘Diário de Bitita’ (1986).

Além de fotos e manuscritos de Carolina Maria de Jesus, constam obras de artistas visuais como Antonio Obá, Heitor dos Prazeres, Maria Auxiliadora, Madalena dos Santos Reinbolt, Paulo Nazareth, Rosana Paulino, Silvana Mendes, Sonia Gomes, coletivo Encruzilhada, dentre outros.

A exposição fica em cartaz até 30 de janeiro de 2022, de terça a domingo no IMS, na avenida Paulista. A entrada é gratuita mediante agendamento prévio na plataforma Sympla. 

Livro “Carolina Maria de Jesus: uma biografia”

O livro “Carolina Maria de Jesus: uma biografia” do jornalista Tom Farias, lançado pela Editora Malê em 2018, é uma obra que apresenta a complexa trajetória da escritora.  Da infância pobre, em Minas Gerais, passando pelas cidades em que peregrinou na juventude em busca de trabalho e de diagnóstico e cura para uma doença nas pernas, até sua chegada a São Paulo onde se instalou na favela do Canindé.

A biografia detalha não somente sua relação com os filhos e o momento de ascensão, devido ao sucesso editorial do livro Quarto de despejo (1960), mas também o declínio em razão do desinteresse do mercado editorial e dos leitores em relação às suas publicações posteriores, o que, acrescido da sua personalidade forte e das barreiras sociais e discriminatórias brasileiras, levou a escritora retornar à mesma condição de pobreza em que viveu boa parte da sua vida.

 

Música “Vedete da favela”

Você sabia que Carolina Maria de Jesus atuou e também lançou um disco? Em 1961 ela se aventurou na música com o álbum “Quarto de despejo” pela gravadora RCA Vitor. Com composições autorais, as músicas tem arranjos do maestro Francisco Moraes e direção artística de Júlio Nagib.

O disco é uma delícia de escutar. Minha preferida é “Vedete da favela”. Solta o som do álbum completo disponível no YouTube. 

Livro “Meu sonho é escrever”

Uma coletânea de textos inéditos da autora Carolina Maria de Jesus.

Crédito: Alma Preta

A melhor maneira de conhecer de fato Carolina Maria de Jesus é por meio de seus livros, resultado do empenho de toda sua vida. É importante tirar da cabeça a ideia de que sua literatura é inferior por ela ser preta, favelada, sem estudos. Sua poesia é gigante! E, felizmente, podemos nos dias de hoje ter acesso às suas obras em diferentes publicações.

Destaco aqui o livro “Meu sonho é escrever” lançado em 2018 pela Ciclo Contínuo com diversos fragmentos de seus manuscritos e também as recentes reedições de “Casa de Alvenaria” pela Companhia das Letras, que contou com um conselho editorial formado por Conceição Evaristo e Vera Eunice, filha de Carolina.

… bônus

Aproveitando a deixa, Nós, mulheres da periferia homenageamos Carolina Maria de Jesus em nosso documentário Nós, Carolinas – vozes das mulheres da periferia, que está lá no Youtube (aproveita e dá uma força se inscrevendo no canal).

O curta traz as vivências e vozes de quatro mulheres que moram em diferentes bairros: Parque Santo Antônio, zona Sul; Jova Rural, zona norte; Perus, região noroeste e Guaianases, na zona leste. Joana Ferreira, Carolina Augusta, Renata Ellen Soares e Tarcila Pinheiro falam o que é ser mulher da periferia em cotidianos particulares, mas conectados pelo recorte de classe, raça e gênero.

Assim como a escritora Carolina Maria de Jesus, que encontrou na escrita um instrumento para superar sua invisibilidade, essas outras Carolinas também invisíveis aos olhos do centro, usam a potência de sua voz para romper silêncios.

Leia também


Apoie o jornalismo independente feito por mulheres. Apoie o Nós. Acesse catarse.me/nosmulheresdaperiferia e faça parte da nossa comunidade.

 

Temas:

Sobre a autora:

Lívia Lima

Jornalista, mestre em Estudos Culturais e moradora de Artur Alvim, zona leste de São Paulo.