Como garantir a pluralidade de gênero, raça e classe nas redações? Esses e outros questionamentos serão abordados na mesa que discutirá “Diversidade nas fontes jornalísticas”, que acontece no Festival Path, neste fim de semana.

Essa mesa terá a participação da jornalista e cofundadora do coletivo de comunicação Nós, mulheres da periferia Jéssica Moreira.  As comunicadoras Fernanda Cabral e Helaine Martins também integração a discussão.
Essas profissionais debaterão a necessidade de diversidade nos conteúdos jornalísticos. A partir  de iniciativas, indicarão caminhos possíveis  para ampliação das vozes nos meios de comunicação.
O relatório Who Makes The News, do Global Media Monitoring Project (GMMP), cuja última publicação foi em 2015, aponta que apenas 24% das histórias noticiadas incluíam as mulheres.
A diferença aumenta em notícias que abordam política e governo, onde apenas 16% das pessoas que aparecem nas notas são mulheres.
Nas últimas duas décadas, a diferença de gênero entre as pessoas que aparecem nos noticiários foram radicalmente reduzidos na América Latina, com impressionantes 13%, passando de 16% em 1995 para 29% em 2015.
A má representação da mulher na mídia é alvo de discussões e reivindicações feministas, assim como pela igualdade de gênero no campo trabalhista, pelo direito ao corpo, às escolhas, à cidade.
Debater esses temas é parte fundamental para combater essas desigualdades ainda existentes.
Sobre o Festival Path
O tema do Festival Path de 2018 é “Ideias que trocam ideias”. O próprio espaço do evento cria um ambiente propício para as trocas e conexões.
O Festival está na sexta edição e é considerado o maior evento de inovação e criatividade do Brasil.
O evento terá mais de 500 horas de conteúdo variado, e começa na sexta-feira (18) e vai até domingo (20). Palestras, shows, filmes e mais atividades compõem a atividade. Confira a programação
 
 

Temas: