Livro faz parte da literatura negra e feminina das autoras
da periferia de São Paulo

Jenyffer Nascimento Crédito: Chaia Dechen

Jenyffer Nascimento
Crédito: Chaia Dechen


No próximo dia 30 de outubro chega às ruas o primeiro livro de poesias da educadora Jenyffer Nascimento, o “Terra Fértil”, organizado pelo coletivo Mjiba para fortalecer a literatura negra e feminina das autoras das periferias paulistana.
Com quase 170 páginas, a obra teve a organização de Carmen Faustino e Elizandra Souza, o projeto gráfico de Nina Vieira e a ilustração de Lucimara Penaforte. O livro Terra Fértil integra o Projeto Mjiba: Espalhando Sementes e visa o fortalecimento da escrita negra e feminina e que teve início com o evento Mjiba em Ação e a Antologia Pretextos de Mulheres Negras.
Para a festa de lançamento, que ocorre na Ação Educativa, o evento traz música com a Fernanda Coimbra, discotecagem com a Dj Vivian Marques e dança com Débora Marçal.
Pernambucana, a escritora nasceu em 1984 e teve contato com a poesia na adolescência, a partir do hip-hop. Desde 2007 frequenta os saraus da periferia paulistana e se considera “definitivamente arrebatada pela força transformadora da poesia”.
“Acredito que a poesia é anterior à própria escrita. Ela nasce no olhar, nasce nas frestas, na revolta, nos amores, nos pontos de ônibus, nos muros, tudo é poesia. Chegar até o papel é só mais uma etapa… trabalhosa, sim, mas apenas mais uma etapa. Eu percebo que ainda estou me descobrindo. Gosto de escrever poesias, mas não me sinto confortável com o título de poeta. Gosto mesmo é de ser escrevinhadora. Inscrever e escrever sonhos reais e imaginários”, detalha Jenyffer.
A autora tem poesias publicadas em duas antologias: Pretextos de Mulheres Negras e Sarau do Binho, seus textos também estão vivos nos espaços de cultura que frequenta e nas redes sociais, que usa para divulgar o próprio trabalho desde 2010.
Atualmente moradora do Jardim Ibirapuera, que tem como “o melhor lugar do mundo”, tem paixão por gente e pelo Rio de Janeiro, sonha em conhecer o sertão e acredita que o coração é terra fértil, sempre.
“Não dimensionava a projeção que a minha escrita poderia ter para outras pessoas. Sinto que represento outras além de mim, afinal, quantas mulheres negras e periféricas você conhece que estão lançando livros de poesia? Sinto uma tremenda responsabilidade por representar as mulheres, em especial as negras, periféricas e suburbanas”, enfatiza.
TerraFertil_webServiço
Lançamento do livro “Terra Fértil”
Quando:  30 de outubro (quinta-feira),das 19h às 22h
Onde: Ação Educativa – Rua General Jardim,660. Vila Buarque
Quanto: na faixa
Quando: 10 de novembro (segunda-feira), a partir das 20h
Onde: Sarau do Binho – Espaço Clariô – Rua Santa Luzia,96 – Taboão da Serra
Quanto: na faixa
Informações: coletivo.mjiba@gmail.com