Em comemoração ao Dia da Mulher Negra, no próximo domingo (3), acontece a 5ª edição do evento Mjiba em Ação, no CEU Três Lagos, Zona Sul de São Paulo.

DJ_Vivian_Thaina Joaquim Crédito: divulgação

DJ_Vivian_Thaina Joaquim
Crédito: divulgação


O evento contará com a participação de cantoras, atrizes, poetisas, músicos e artistas. Terá atividades para as crianças, com os palhaços da Trupe Liuds, e será o ano de lançamento do site Mjiba. “Vamos dialogar com as jovens mulheres negras e reunir as diversas línguas artísticas como música, dança, literatura, teatro e artes visuais”, diz Elizandra Souza, uma das organizadoras do evento e do coletivo.
Na programação, a música vem com o rap de Amanda NegraSim, que há anos está no hip-hop e acredita que a música pode ‘salvar almas’ e luta para que as pessoas tenham melhores condições de vida e possam garantir os direitos básicos como alimentação, moradia e estudo. “Neste contexto, o hip-hop casa com a ideia de luta que idealizo, por ser um movimento de valorização à cultura de rua”, destaca a cantora.
A discotecagem será com a Dj Vivian Marques e haverá também música popular brasileira com Luciana Oliveira, que em 2013 lançou o álbum solo Pura, com produção musical de Alê Siqueira e participação de Elza Soares.
Nega Duda Crédito: Arnaldo Galvão/ Dinho

Nega Duda
Crédito: Arnaldo Galvão/ Dinho


A poesia ficará por conta das poetisas Formiga, Mahu Ma e Jenyffer Nascimento que comandarão um pocket sarau. Já a grafiteira Crica é a convidada para colorir o encontro e na sequência, o Capulanas Cia de Arte Negra realiza um bate-papo sobre a ‘Saúde da Mulher Negra’.
Já o encerramento será feito com o Samba de Rosa Nega Duda, que surgiu em 2007 a partir da experiência de Ducineia, conhecida como nega Duda, na Bahia e levada a São Paulo. A apresentação reúne samba corrido e samba chulo, como diversos outros grupos de samba de roda do Recôncavo Baiano. Com a apresentação em semi-círcuclo, a proposta do grupo é aproximar o público das cantigas de samba de domínio público. O espetáculo busca proporcionar a vivência no tradicional samba de roda e estabelecer relações entre a festa, a brincadeira e a cultura popular.
Além de tudo isso na programação está a exposição fotográfica “Espalhando Sementes” que será afixada no Céu e ficará até o dia 24 de agosto. Artigos afros e livros produzidos por mulheres negras serão comercializados no recinto.
Exposição_artigos_afros Crédito: divulgação

Exposição_artigos_afros
Crédito: divulgação


O Mjiba e do Dia da Mulher Negra
O coletivo Mjiba completa 10 anos de atividade, em paralelo aos 22 anos do Dia da Mulher Negra, instituído em São Domingos, na República Dominicana, no Congresso de Mulheres Afro-Latinas-Americanas e Afro-Caribenhas em 1992.
Em 2012, quando a data completou 20 anos, diversos coletivos de mulheres negras e ativistas da América Latina e Caribe reuniram-se para criar um documento e orientar as políticas públicas para reduzir as desigualdades sociais que as mulheres negras ocupam na base da pirâmide social.
Esta atividade feita pelo Mjiba foi realizada por dois anos consecutivos, em 2004 e 2005 no mesmo espaço. E a terceira e quarta edição (2012 e 2013) foram contempladas pelo Programa VAI- Modalidade I. Este ano 2014, o Coletivo Mjiba teve o projeto Mjiba – Espalhando Sementes contemplado pelo Programa VAI – Modalidade 2. Em 2013 foi lançado também o livro ‘Pretextos de Mulheres Negras’, pelo menos coletivo.
Serviço
O quê: 5º Mjiba em Ação
Quando: Domingo (3) das 14h às 19h
Onde: CEU Três Lagos
Endereço: Rua Nereu Bertini Magalhães, 302. Jardim Três Corações, Zona Sul.
Lotação no Term. Grajaú . Jardim Porto Velho (6016-41) ou Jardim Noronha (6016).
Ingresso: gratuito
Informações: (11) 98251-4024/ 98651-2546
E-mail: coletivo.mjiba@gmail.com