“Tecnologia é uma ferramenta para solucionar problemas da nossa sociedade, por isso é tão importante que essa área seja mais diversa”, diz Kizzy Terra, cientista de dados e mestre em modelagem matemática de dados.

Na última quinta-feira, 9 de setembro, ela participou de um bate-papo promovido pelo evento Afro Presença sobre mercado de trabalho, inovação e diversidade. Além de Kizzy, a formação da mesa incluiu Silvana Bahia, codiretora executiva do Olabi e Daniele Rodrigues dos Santos, engenheira da computação com MBA em big data & analytics. A mediação ficou por conta da jornalista Semayat Oliveira, cofundadora do Nós, mulheres da periferia.

Idealizado e coordenado pelo Ministério Público do Trabalho em São Paulo (MPT-SP), e com realização da Rede Brasil do Pacto Global da ONU (Organização das Nações Unidas), o evento busca encorajar o diálogo e ações afirmativas para a inclusão de universitários e universitárias negros e negras no mercado de trabalho com uma programação com cerca de 180 horas de conteúdo e mais de 70 mesas de debates.

A afirmação feita por Kizzy teve plena concordância entre as convidadas para tratar o assunto. Durante a conversa, Daniele chegou a dizer que quase desistiu de seguir na área por não se sentir parte daquele universo. “Mas decidi seguir em frente. E o que posso dizer para outras jovens e mulheres que se interessam pela tecnologia é: se você sente que é pra você, é porque é pra você”.

Silvana Bahia, que também é coordenadora da PretaLab, uma iniciativa de estímulo às mulheres negras nas tecnologias e inovação, reafirmou esse incentivo.

“Muitas mulheres acabam saindo da área por falta de acolhimento, de incentivo. Mesmo quando chegam lá, se sentem isoladas, sozinhas”. 

E essa sensação se comprova nos números. A pesquisa Quem Coda BR, publicada pela PretaLab e Thoughtworks em 2019, entrevistou 693 pessoas que trabalham com tecnologia em 21 estados. Entre os trabalhadores que responderam a pesquisa, o percentual de brancos é de 58,3% , e o de negros é de 36,9%. 

Ou seja, apesar do avanço gradativo ao longo dos anos, é possível perceber a disparidade entre a presença negra e a branca no setor de tecnologia. Este é um dos motivos pelo qual Kizzy também é cocriadora do canal Programação Dinâmica, no YouTube.

Lá, ela produz conteúdo sobre ensino de programação, ciência de dados e discussões sobre novas tecnologias. “Essa é uma forma de criarmos uma rede. E eu concordo com a Daniele. Se você acha que tecnologia é pra você, siga em frente”.

Leia mais: 

Afro Presença discute inclusão de jovens negros no mercado de trabalho


Apoie o jornalismo independente feito por mulheres, apoie o Nós. Acesse catarse.me/nosmulheresdaperiferia para fazer parte da nossa comunidade.

Temas:

Sobre a autora:

Semayat S. Oliveira

Semayat Oliveira, jornalista e escritora. Nascida no Jardim Miriam, zona sul de São Paulo