E a criançada, como anda por aí? Nossa Dica da Semana é o Festival Brincando na Praça.

Voltado para o público infantil, a 3ª edição do evento conta com mais de 20 atrações culturais e transmissão online e gratuita.

Fizemos uma seleção da programação que incentiva o brincar e também o aprendizado para se conscientizar.

Reunindo atrações de diversas áreas, como teatro, dança, oficinas e intervenções, o festival Brincando na Praça tem início nesta sexta-feira, dia 19, e vai até 29 de novembro. Os programas vão ao ar de sexta a segunda-feira, sempre a partir das 15h, com acesso livre para todo o Brasil nas páginas do Facebook e YouTube da Muda Cultural e Catraca Livre.

Esta edição do Brincando na Praça tem curadoria da produtora e atriz Julia Pires e é realizada pela Muda Cultural, com patrocínio do Facebook e da VR Benefícios, por meio do Programa Municipal de Apoio a Projetos Culturais (Pro-Mac).

 Se liga em alguns dos destaques

“Ladeira das Crianças – TeatroFunk”

No sábado, 20 de novembro, a programação apresenta o espetáculo “Ladeira das Crianças – TeatroFunk”, da Cia Rosas Periféricas. No bonde da ladeira tem criança que sonha em ser DJ, menino curioso para saber o que há dentro do pote, menina de cabelo de nuvem; tem criança igual a todo mundo que foi criança um dia e morou na periferia.

As histórias de crianças periféricas ganham a cena e revelam seus desejos e sonhos, embalados pelo ritmo do funk. Como contar quem é a criançada da nossa periferia? Como cantar quem é?

Refletindo sobre a identidade da criança periférica e sobre os bens culturais do território acessados na fase infanto-juvenil, a peça é uma adaptação das obras “O Pote Mágico” e “Amanhecer Esmeralda”, do escritor Ferréz e o enredo conta, a partir das memórias dos integrantes do grupo e de narrativas atuais, como é ser criança nas periferias, tendo o funk como a linguagem musical que guia essas histórias.

A peça é uma adaptação das obras “O Pote Mágico” e “Amanhecer Esmeralda”, do escritor Ferréz .

Crédito: divulgação

MANOfestAÇÃO

Na segunda-feira, dia 22 de novembro, uma das atrações é o espetáculo MANOfestAÇÃO do Unity Warriors, grupo formado por jovens da periferia das zonas leste e noroeste da cidade de São Paulo, que tem como proposta celebrar a cultura hip-hop por meio da dança breaking.

Na apresentação, o grupo se inspira nas originais festas de rua buscando apresentar artisticamente a desigualdade social, o racismo estrutural que molda o imaginário social, e a resistência no meio de adversidades, invisíveis e visíveis.

No domingo, dia 28, o grupo retorna para a programação com uma oficina de danças urbanas. Lembrando que as atividades têm início sempre às 15h e diversas atrações vão sendo apresentadas. Acompanhe!

“MANOfestAÇÃO” é inspirado nas festas de rua que deram origem à cultura hip-hop.

Crédito: divulgação

“As Clássicas” – Cia Teatral Circo Delas

Outro espetáculo de destaque no dia 22 de novembro, segunda-feira, é “As Clássicas”, da Cia Teatral Circo Delas, que apresenta a história das palhaças Carmela e Federica, duas amigas que dormem em meio a caixas de papelão nas ruas da cidade grande e passam por diversas situações inusitadas para manter a amizade e sobreviver.

Através da poesia, do riso e empatia, a esquete pretende ampliar pontos de vista sobre a vulnerabilidade e invisibilização das pessoas em situação de rua e, a partir de sua narrativa cômico poética, expor algumas das dificuldades, relações e situações enfrentadas por esta população.

A atração aborda ainda o fenômeno de gentrificação nos centros urbanos, que é a expulsão ou substituição da população em situação de vulnerabilidade social de determinado centro urbano por conta do processo de especulação imobiliária. Tudo isso pra criança, mas lições  importantes também para adultos!

Festival Brincando na Praça2

Carmela e Delíria são duas amigas que dormem em meio a caixas de papelão nas ruas da cidade grande e passam por diversas situações inusitadas para conseguirem manter a amizade e sobreviver.

Crédito: divulgação

Criando Figurinos

Além de apresentações, a programação do Brincando na Praça promove uma série de oficinas para estimular a ação e criatividade das crianças.

Uma delas é a oficina “Criando Figurinos” que acontece no sábado, dia 27 de novembro, realizada pela Trupe Borboletas, que reutiliza peças de roupas usadas para criar adereços para as histórias encenadas em casa.

 

Emaranhada – O Vessero de Mavi

No domingo, dia 28, acontece a apresentação do espetáculo “Emaranhada – O Vessero de Mavi”. Inspirada em sua própria experiência, a atriz Amarilis Irani interpreta uma menina inventora de palavras, braços e mãos tagarelas e dona de uma cabeleira enorme, que passa por aventuras em busca de sua liberdade e identidade, trazendo os diferentes e inusitados cabelos da heroína criança e negra.

Por meio de suas raízes, Amarilis conduz a peça mesclando as linguagens do teatro, da mímica, do circo e da dança. Em cena, desfruta da narrativa – ora como personagem, ora como narradora – num jogo de inventar palavras e novos significados ao mundo de Mavi.

A história de Mavi, menina inventora de palavras, braços e mãos tagarelas e cabelos enormes.

Crédito: divulgação

  … bônus

Aproveitando a temática desta edição, e por estarmos na véspera do Dia da Consciência Negra, indicamos o ensaio “Panteras Negras” que o fotógrafo carioca Ruan divulgou em suas redes sociais.

Dá uma olhada na fofura e no poder!

Temas:

Sobre a autora:

Lívia Lima

Jornalista, mestre em Estudos Culturais e moradora de Artur Alvim, zona leste de São Paulo.