Paolla Oliveira e Taís Araújo

Falas Femininas: exaustão das mulheres é tema de programa televisivo

Episódio “Louca” inaugura Falas Femininas de 2024 na TV Globo abordando reflexões sobre a sobrecarga das mulheres e o trabalho de cuidado

Por Beatriz de Oliveira

07|03|2024

Alterado em 07|03|2024

Cansaço físico e mental, sobrecarga com tarefas cotidianas e assédio sofrido por mulheres são alguns dos temas discutidos no episódio “Louca”, que marca o início do programa Falas Femininas de 2024, da TV Globo. “É hora de reconhecer que o trabalho de cuidado também é trabalho, e é responsabilidade de toda a sociedade aliviar o peso sobre os ombros das mulheres”, afirmou Veronica Debom, roteirista do programa.

Com apresentação das atrizes Taís Araújo e Paolla Oliveira, o programa utiliza entrevistas e contexto histórico para promover reflexões de como a exaustão permeia a vida das mulheres. O formato escolhido é o de experimentos sociais, nos quais foram criadas situações cotidianas fictícias para captar a reação de homens e mulheres diante de situações de assédio e trabalho de cuidado não remunerado. 

De acordo com o relatório “Esgotadas”, da ONG Think Olga, 86% das brasileiras consideravam ter uma carga de responsabilidade muito alta em 2023. A sobrecarga de trabalho doméstico e a jornada de trabalho excessiva foram o segundo fator de maior impacto na saúde emocional das mulheres, ficando apenas atrás apenas das preocupações financeiras.

A sobrecarga é ainda mais significativa para as mulheres negras: 50% das pretas e pardas cuidam de alguém. Elas também são maioria em relação à insatisfação com a situação financeira e com o trabalho, além de serem principais provedoras. 

Ao longo dos 45 minutos de programa, ouvimos falas de especialistas como a advogada Fayda Belo e da psicóloga Jaqueline Gomes. A cantora Preta Gil compartilha sua experiência sobre ter sido abandonada pelo então marido enquanto tratava um câncer no reto. Outra presença é da atriz e influenciadora Ana Terra Oliveira, que ficou conhecida por vídeos em que explicita o machismo vivido na sociedade ao fazer perguntas para homens e mulheres e receber respostas discrepantes.

Em Falas Femininas, Ana vai às ruas para fazer perguntas como “você já foi chamada de louca?” para as mulheres, e “você já teve uma ex louca?” para os homens. A influenciadora espera que o programa promova reflexão para mulheres que vivem relações abusivas e para as que estão sobrecarregadas com o trabalho de cuidado. 

mulheres conversam em palco

Coletiva de lançamento do programa Falas Femininas

©Globo/Manoella Mello

A diretora do programa, Antonia Prado, explica que houve a preocupação de não “vilanizar” as pessoas por atitudes machistas, mas sim, convidá-las à reflexão. Outra intenção foi mostrar para as mulheres que elas não são culpadas por se sentirem exaustas. “Tudo bem você querer ter tempo livre, eu sei que você gosta de criar o seu filho, mas dá trabalho”, exemplifica.

Taís Araújo espera que o episódio surpreenda o público e gere identificação com cenas vividas no cotidiano. Durante o evento de lançamento, afirma ainda que considerou a iniciativa relevante ao receber o convite para ser apresentadora: “na minha carreira como atriz, opto por fazer coisas que considero importantes para a sociedade”.

Ao todo, o programa terá seis episódios a serem exibidos em datas comemorativas. O primeiro é em alusão ao Dia da Mulher, os próximos se referem ao Dia dos Povos Indígenas, Dia do Orgulho LGBTQIA+, Dia do Idoso, Dia da Consciência Negra e Dia de Luta da Pessoa com Deficiência. O episódio “Louca” será exibido nesta sexta-feira (08) após o Big Brother Brasil.

Para esse 8 de março, Taís Araújo declara seu pedido: “desejo que nós, mulheres, sejamos ouvidas e que nossos desejos não sejam descredibilizados”.