O Bloco Ilú Obá De Min homenageará no Carnaval de 2016 a cantora Elza Soares, que fará uma participação especial no show do bloco na Praça da República no próximo dia 5 de fevereiro às 20h. A concentração está prevista para as 19h. O cortejo sairá da Praça da República às 21h, passará pela Avenida São Luiz e Rua Xavier de Toledo, previsto para ser concluído às 23h na Praça das Artes, local onde o Ilú esticará a festa sob o som das DJs Evelyn Cristina, Tata Ogan e Luana Hansen.

foto:

foto: divulgação Fábio Guedes


“Ser negra, mulher e brasileira é para mim um grande orgulho e minha maior missão. Que todas as mulheres sejam homenageadas. Somos a grande força do mundo e nosso caminhar é sagrado. Me sinto ‘pequena’ quando recebo homenagens, mas esta me faz gigante, pois é a celebração de toda mulher brasileira. Todo meu amor e axé para as mulheres do Ilú”, comenta Elza.
Filha de operário e lavadeira, Elza Soares nasceu na favela da Moça Bonita, hoje Vila Vintém, Rio de Janeiro. Casou se aos 12 anos de idade, foi mãe aos 13, mesma idade em que realizou o sonho de cantar pela primeira vez num programa de auditório. Elza usou o dinheiro da participação para comprar os remédios para o filho doente. Aos 21 anos ficou viúva com cinco filhos para criar. Aos 32 anos conheceu o jogador de futebol Garrincha, com quem teve mais um filho e foi casada por 16 anos até se tornar viúva outra vez. Dos seus seis filhos, só uma filha permanece viva. Elza seguiu cantando, fez turnês pelos Estados Unidos e Europa e foi eleita como a voz do milênio pela BBC de Londres.
A trajetória de Elza será cantada em cinco composições interpretadas pelas mais de 300 integrantes de grupo, que ensaiam desde setembro do ano passado, aos sábados e domingos, para representar nas ruas de São Paulo as lutas da mulher – sobretudo a negra – e celebrar as conquistas obtidas ao longo do ano, por meio dos inúmeros projetos socioculturais do Ilú.
“O cortejo é uma grande ópera de rua popular comandada pela força dos tambores, proliferando a cultura das nossas antigas tradições africanas. O bloco traz as mulheres como linha de frente e da retaguarda, com o intuito de ter a participação ativa da mulher na sociedade, empoderando-a através da educação, cultura e arte negra”, afirma Mafalda Pequenino, coordenadora e diretora artística dos Pernaltas do Orun, abre-alas do bloco.
Serviço:
Quando: 5 de fevereiro (Sexta-Feira)
Concentração: 19h, na Praça da República
Show com participações especial de Elza Soares: 20h, na Praça da República
Saída do bloco: 21h, na Praça da República
Chegada e festejo do bloco: 23h, na Praça das Artes