Nesta quinta-feira (20), a cantora Elza Soares nos deixou, aos 91 anos, de causas naturais. Carioca, favelada, vinda direto do “planeta fome” nos anos 50 do século XX, Elza foi uma das vozes mais marcantes e importantes da música brasileira, considerada “a voz do milênio” nos anos 2000 pela BBC em Londres.

Sua história de vida, entre drama, romance e tragédia, foi uma obra de arte que será sempre inspiração para Nós. Sua canção “A mulher do fim do mundo”, gentilmente cedida por ela e sua equipe, é também personagem no nosso curta-documentário Nós, Carolinas.

Queremos agradecer Elza por ter aberto caminhos, pela coragem e ousadia, força e determinação para seguir sua existência nesse planeta racista brasileiro. Por aqui, indicamos algumas formas de celebrar sua vida e obra. Viva Elza!

Veja as dicas abaixo

 

My name is now

Mesmo com dificuldades de locomoção, Elza Soares se manteve nos palcos até o final

Crédito: Divulgação

O filme Elza – My name is now, dirigido por Elizabete Martins Campos, é um documentário poético que conta a história da cantora por meio de suas próprias falas, depoimentos, imagens e músicas. Muito lindo! Lançado em 2018, o filme ganhou o prêmio de melhor filme de documentário pelo voto popular no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro de 2019. Dá para assistir no Prime Video.

 

Jazz & Divas

Versátil, Elza ficou conhecida como intérprete de samba, mas também cantou jazz e soul

Crédito: Divulgação

Para marcar a reinauguração do Auditório Simón Bolívar do Memorial da América Latina, em São Paulo, que ficou fechado após um incêndio, em dezembro de 2017 a TV Cultura realizou o show Jazz & Divas – Uma Homenagem a Elza Soares.

No show, a Orquestra Jazz Sinfônica Brasil acompanha grandes nomes da música nacional, como Baby do Brasil, Sandra de Sá, Paula Lima, Rosana, Vânia Bastos, Liniker e As Bahias e a Cozinha Mineira, em uma homenagem à Elza, cantando seus principais sucessos. O espetáculo está disponível na íntegra no Youtube.

 

Pérola Negra

Em 2016, Elza Soares foi a homenageada no desfile do Bloco Afro Ilú Obá de Min no carnaval de São Paulo. Me lembro que fui na saída do cortejo, em meio à chuva no centro da cidade, e Elza estava lá. Foi muito emocionante! É possível assistir um pouco do desfile no Canal do Youtube do Ilú.

 

Juntas nessa Guerra

Entre suas dores maternais está o fato de ter perdido filhos para a fome

Crédito: Divulgação

A melhor forma de homenagear Elza Soares com certeza é prestigiando seu trabalho, suas músicas que foram gravadas em mais de 30 discos. Mas também vale ler e aprender com o que ela tem a dizer a todas nós, mulheres negras, na carta “Estaremos juntas nessa guerra”, publicada na Revista Piauí em julho do ano passado.

A carta é direcionada à mãe de Kathlen Romeu, jovem de 24 anos, grávida, que foi morta a tiros durante uma operação policial na comunidade de Lins, no Rio de Janeiro. 

Elza, que perdeu 4 filhos, se solidariza com Jacklline, mãe de Kathlen, e escreve um texto emocionante que denuncia o racismo e genocídio da população negra no Brasil, sem se esquecer do abraço necessário de uma mãe para outra. Um exemplo de generosidade da artista, que sempre soube se posicionar socialmente também.

Temas:

Sobre a autora:

Lívia Lima

Jornalista, mestre em Estudos Culturais e moradora de Artur Alvim, zona leste de São Paulo.