Julho está começando e é um mês muito importante para nós, mulheres negras, pois no dia 25 é comemorado o Dia da Mulher Negra Latino-americana e Caribenha. Pensando nisso, nessa edição de Dicas da Semana, Nós trazemos algumas séries e filmes sobre experiências de resgate e conexões com nossa ancestralidade africana. Vale a pena conferir!

Sankofa

Você já ouviu falar em Sankofa? Trata-se se um conceito de origem dos povos de língua Akan da África Ocidental, que aparece nos ideogramas Adrinka, representado por um pássaro que volta a cabeça à cauda (eu mesma tenho uma tatuagem desse símbolo!), cujo significado reflete sobre “retornar ao passado para ressignificar o presente e construir o futuro”.

A série Sankofa – a África que te habita, disponível na Netflix (2020), apresenta a saga do fotógrafo César Fraga e do escritor Maurício Barros de Castro visitando a África para investigar a verdadeira história da escravidão e seus impactos.

Em 10 episódios curtos – de até 30 minutos, a equipe viaja por diferentes países, mostrando em imagens exuberantes as conexões culturais e sociais do Brasil com a ancestralidade africana, marcadas pelo triste passado de escravização de seu povo. Uma grande aula de História!

Uma jornada gastronômica

Ainda na Netflix, na série “Da África para os EUA – uma jornada gastronômica” (2020) o chef e escritor Stephen Satterfield mostra pratos saborosos viajando da África a diferentes regiões dos Estados Unidos, exaltando a culinária produzida pelos negros, apesar das adversidades diante da escravidão e racismo.

O primeiro episódio, na viagem do chef ao Benin, é emocionante, e é possível encontrar muita semelhança com a comida brasileira também (viva o quiabo!). A fotografia da série é muito bonita e os pratos apresentados de dar água na boca. Uma delícia de viagem!

Cena da série “Da África para os EUA”

Pedra da memória

Ainda no Benin, pequeno país da costa africana, o documentário Pedra da Memória (2011), de Renata Amaral, conta a história de uma comunidade afro-religiosa brasileira que viaja pela primeira vez ao país, indo ao encontro da cultura de seus ancestrais. O filme mostra, na outra margem, os Agudás, descendentes de ex-escravos brasileiros retornados ao Benin após a abolição, que cultivam, também, a cultura brasileira de seus antepassados.

Pedra da Memória é um documentário musical que propõe uma investigação estética entre os gêneros tradicionais dos dois países, revelando seus vínculos e particularidades, em uma aproximação poética conduzida pela memória do babalorixá Euclides Talabyan e os desenhos de Carybé. O filme está disponível no Youtube.

A Rainha chegou

O documentário A Rainha Nzinga chegou (2019), produção disponível no SescTV, mostra três gerações de rainhas da Guarda de Moçambique e Congo Treze de Maio, de Minas Gerais, uma irmandade negra de caráter religioso, que descende da espiritualidade e das normas praticadas há séculos por Nzinga, rainha e guerreira histórica na resistência ao domínio português na África no século XVII.

Durante um rito de passagem, a rainha Isabel Casimira se prepara para assumir seu reinado fazendo uma visita a Angola, terra de seus ancestrais. Ela visita os povos do Congo e Angola, e mostra a importância das tradições culturais brasileiras em memória às origens africanas. É emociontante!

Sobre a autora:

Lívia Lima

Jornalista, mestre em Estudos Culturais e moradora de Artur Alvim, zona leste de São Paulo.