Nesta edição do Dicas da Semana, trazemos alguns destaques da programação virtual que está rolando, com destaque para a cultura e arte indígena, no mês dedicado à reflexão e homenagem da vida e diversidade dos povos originários.

Se liga!

Rec tyty

De 17 a 25 de abril

O Rec Tyty – Festival de Artes Indígenas acontece a partir de sábado, dia 17 de abril, e vai até dia 25, reunindo em uma plataforma virtual um recorte de produções artísticas de diferentes povos em múltiplas linguagens, destacando suas histórias, heranças e tradições.

O evento é uma idealização do Instituto Maracá, com direção artística de Anna Dantes, da Dantes Editora, e do Selvagem Ciclo de Estudos sobre a Vida, e curadoria de Ailton Krenak, Cristine Takuá, Carlos Papá, Naine Terena e Sandra Benites.

Além de acesso às obras visuais, sonoras, audiovisuais, o público terá a oportunidade de conhecer um pouco sobre diferentes culturas indígenas em um ciclo de conversas e encontros de cantos, dança, pintura corporal e rituais.  O festival também apresenta a primeira etapa do projeto Nhe´ẽry , que em oficinas desenvolve a recriação de mapas a partir do olhar do povo Mbya-Guarani.

A programação e o acesso às obras estarão disponíveis no site a partir de domingo.

Em família

22 a 27 de abril

De 22 a 27 de abril, o Grupo Pandora de Teatro – que há dezessete anos atua no bairro de Perus (extremo noroeste da cidade de São Paulo) estreia temporada online gratuita de seu novo espetáculo “Jardim Vertical”.

A peça é uma fábula contemporânea que conta as histórias e as relações de uma família que vive isolada do mundo externo, em um seguro apartamento no quadragésimo sétimo andar de um edifício, onde é preciso abrir espaço no cotidiano para que sonhos aconteçam neste contexto de compensação e artificialidade.

De  forma cômica e satírica, o espetáculo transita pelo dia-a-dia dessa família, revelando o autoritarismo presente em seu convívio trazendo para a cena aspectos significativos da nossa sociedade, como o conceito de família, as ambições patriarcais, bem como os sonhos e desejos de mudança.

A curta temporada será composta por nove apresentações gratuitas diárias, com horários diversificados, por meio da plataforma virtual Zoom. Os ingressos estão disponíveis na plataforma Sympla.

Cena de “Jardim Vertical” do Grupo Pandora de Teatro.

Crédito: Levy Vitorino

Melhores filmes

De 14 de abril a 5 de maio

De 14 de abril até 5 de maio o Sesc São Paulo realiza 0 47º Festival Sesc Melhores Filmes, em versão totalmente digital e gratuita, apresentando produções nacionais e internacionais do último ano que foram destaque para o público e a crítica.

A programação disponibiliza para exibição os filmes mais votados, sessões especiais e homenagem, além de encontros temáticos e cursos. Dentre os destaques está o drama francês “Retrato De Uma Jovem Em Chamas”, de Céline Sciamm, sobre a relação entre duas mulheres no século 18, e o documentário brasileiro “Babenco – Alguém Tem Que Ouvir O Coração E Dizer: Parou”, de Bárbara Paz, que foi selecionado para disputa ao Oscar.

Os filmes ficam disponíveis on demand por 24h, uma semana ou até o término do festival, na plataforma Sesc Digital. Parte dos filmes exibidos possui recursos de acessibilidade.

Além dos filmes mais votados de 2020, o festival presenteia o público com sessões especiais de clássicos premiados em edições passadas, uma homenagem à atriz brasileira Marcélia Cartaxo, e dentro do projeto  “Abril Indígena“, são exibidos os filmes  Serras da Desordem (2006) e Martírio (2017).

Atriz Marcélia Cartaxo em cena do filme “Pacarrete”.

Crédito: Luiz Alves

 

Temas:

Sobre a autora:

Lívia Lima

Jornalista, mestre em Estudos Culturais e moradora de Artur Alvim, zona leste de São Paulo.