Os Jogos Olímpicos de Tokyo de 2020, adiados para esse ano por conta da pandemia de Covid-19, tiveram início na semana passada e, apesar disso, têm animado os torcedores. O Brasil já garantiu o histórico ouro no Surf e a prata no Skate, modalidades que entraram nesta edição do evento.

Em nossas Dicas da Semana, Nós trazemos algumas indicações de cinema, leitura e música com histórias de atletas olímpicos, que nos ensinam e nos inspiram. Confira!

Eu, Tonya

O filme Eu, Tonya (Craig Gillespie, 2018) conta a história real da patinadora estadunidense Tonya Harding, que teve uma vida marcada por violência e uma relação abusiva com o companheiro, que a envolveu em um suposto atentado contra outra atleta, durante a preparação para os Jogos Olímpicos de 1994. A atuação da atriz Margot Robbie lhe rendeu indicação ao Oscar. O filme está disponível para aluguel em plataformas de streaming, como GooglePlay e Now.

filme eu tonya atletas olímpicos

Naomi Osaka

Na Netflix, a série Naomi Osaka – estrela do tênis conta a história da tenista japonesa, que acendeu a pira olímpica na abertura do evento este ano e que, infelizmente, já deixou a competição da modalidade.

A série apresenta em três episódios a preparação da atleta, além de mostrar suas raízes culturais multiétnicas, sendo uma japonesa afrodescendente, e seu envolvimento em causas raciais, principalmente no movimento Black Lives Matter (vidas negras importam).

Raça

O longa-metragem Raça (Stephen Hopkins, 2016) apresenta a cinebiografia de Jesse Owens, atleta negro americano que fez história ao ganhar quatro medalhas de ouro nas Olimpíadas de Berlim de 1936, em pleno regime nazista de Adolf Hitler. O filme está disponível para aluguel no Youtube.

Para vencer

Como dica de leitura, indicamos o livro “As Esportistas – 55 Mulheres Que Jogaram Para Vencer” (Editora Disal), que destaca as conquistas e histórias de 55 mulheres atletas notáveis desde o século XIX, que fizeram história e quebraram recordes em mais de 40 esportes.

Entre elas, há figuras conhecidas, como a ginasta Simone Biles, além de campeãs menos comentadas, como Toni Stone, a primeira a jogar beisebol em uma liga profissional masculina, e a skatista pioneira Patti McGee.

A edição brasileira traz também cinco das mais importantes atletas da história do nosso país. Com infográficos, uma linha do tempo e estatísticas, “As esportistas” celebra o sucesso de mulheres fortes, corajosas e destemidas que abriram caminho para as atletas de hoje.

Para dançar

Você sabia o que ex-velocista Usain Bolt agora é cantor?! Depois de ser o único na história a tornar-se de forma consecutiva tricampeão em duas modalidades de pista, e bicampeão também, com oito medalhas de ouro em três edições olímpicas, o jamaicano se dedica atualmente à carreira musical. Escute e se inspire para se mexer um pouco e, quem sabe, começar alguma atividade física!

Leia mais:

https://nosmulheresdaperiferia.com.br/noticias/jogos-olimpicos-participacao-feminina-enfrenta-machismo/

Nós, mulheres da periferia está com uma campanha de financiamento recorrente no Catarse. Apoie o jornalismo independente feito por mulheres, apoie o Nós. Acesse catarse.me/nosmulheresdaperiferia para nos apoiar.

Sobre a autora:

Lívia Lima

Jornalista, mestre em Estudos Culturais e moradora de Artur Alvim, zona leste de São Paulo.