“Criar uma criança é um trampo e uma treta”, diz a psicóloga Fernanda Lopes no 39º episódio do Conversa de Portão. O bebê humano é um ser completamente dependente quando nasce. Ele só evolui e se desenvolve integralmente nos aspectos físico, psicológico, intelectual e social, se os lhe darem as condições necessárias. E isso é o que chamamos de “cuidar”. Será que é possível cuidar de uma criança sozinha? Quem cuida das crianças? A jornalista Mayara Penina fez estas perguntas para a psicóloga Fernanda Lopes.

A chamada rede de apoio é a rede de cuidados – o conjunto de pessoas, instituições, políticas públicas, que, unidas, garantem as condições necessárias para o desenvolvimento da criança. 

Fernanda, que é psicanalista e cofundadora da Semana Mundial da Amamentação Negra, acrescenta que a rede também pode ser composta por pessoas que não estão perto geograficamente da família. “Principalmente quando estamos pensando numa realidade mais classe média, cidades urbanas. Nem sempre seu vizinho é exatamente a sua rede de apoio. Às vezes, é uma rede virtual”, diz.

Ouça o episódio

Nós, mulheres da periferia está com uma campanha de financiamento recorrente no Catarse. Apoie o jornalismo independente feito por mulheres, apoie o Nós. Acesse catarse.me/nosmulheresdaperiferia para nos apoiar.