Nesta quinta, 8 de outubro, estreia a nova montagem do Grupo Clariô de Teatro, inspirada na obra ‘Morte e Vida Severina’, do escritor João Cabral de Melo Neto. A peça “Severina – da morte à vida”, segundo o grupo, pretende mostrar um novo ponto de vista sobre as histórias das pessoas condenadas ao destino pobre e severino, adaptadas aos dias atuais das periferias.
“É uma vez, uma Severina. Em carne, osso e ancestralidade. Está no mundo, e nele enfrenta com simplicidade a realidade à procura da Morte que legítima a Vida! Era, agora sim, uma vez, uma andança inspirada na obra de João Cabral de Melo Neto, que passeia por fios atados, buscando entender e desfazer os nós de nossa identidade. Humana”, revela a sinopse.
Com texto de Will Damas, a direção é de Naruna Costa, uma das “Clarianas”, grupo musical formado por mulheres  do Grupo Clariô de Teatro, que tem como projeto a investigação da voz da mulher “ancestral” na música popular do Brasil,  resgatando a tradição em cantos caboclos de matriz africanordestina-indígena-periférica. As outras integrantes do grupo, as atrizes Marthinha Soares e Naloana Lima, também compõem o elenco.
Severina – da morte à vida” fica em cartaz até o dia 8 de novembro, de quinta a domingo, às 20h30, no Espaço Clariô de Teatro: Rua Santa Luzia, 96, em Taboão da Serra, região metropolitana de São Paulo. A entrada é gratuita.
severina

Sobre a autora:

Lívia Lima

Jornalista, mestre em Estudos Culturais e moradora de Artur Alvim, zona leste de São Paulo.