Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE), 5% da população brasileira é composta por pessoas que são surdas, mais de 10 milhões de pessoas. 

Em cada país, a linguagem de sinais é adaptada. Muita gente não sabe, mas a Língua Brasileira de Sinais – Libras – é a segunda língua oficial do nosso país.

Para valorizar e prestigiar a comunidade surda, o Nós, mulheres da periferia indica algumas dicas culturais!

No ritmo do coração

Ruby, de 17 anos, é a única pessoa que ouve em uma família de surdos

O filme No ritmo do coração (CODA, no título original, se referindo à sigla para “crianças/filhos de pais surdos”) conta a história de uma família com deficiência auditiva que comanda um negócio de pesca nos Estados Unidos. Ruby (Emilia Jones), a única pessoa da família que escuta, ajuda os pais e o irmão surdo com as atividades do dia-a-dia. 

Com o tempo, ela percebe que tem uma grande paixão por cantar e entra para o coral da escola. A jovem, então, treina para ser aceita na faculdade de Berklee, mas ela precisa decidir entre continuar ajudando sua família ou ir atrás de seus sonhos.

Dirigido por Sian Heder, o musical foi o grande vencedor de melhor filme no Oscar deste ano e o ator surdo Troy Kotsur também recebeu o prêmio na categoria ator coadjuvante. É possível assistir ao filme no Prime Video e também em salas de cinema em algumas cidades. 

O som do silêncio

A vida de um jovem baterista muda totalmente quando ele percebe que está perdendo a audição.

Crédito: The Sound of Metal

Outro belo filme que concorreu ao Oscar de 2021 em diferentes categorias, “O som do silêncio” narra a trajetória de um jovem baterista que percebe que está gradualmente ficando surdo. Duas paixões estão em jogo: a música e sua namorada, que é integrante da mesma banda de heavy metal. Essa mudança drástica acarreta em muita tensão e angústia na vida do músico, atormentado lentamente pelo silêncio. Dá para assistir no Prime Video também. 

Um lugar silencioso

Em uma fazenda nos Estados Unidos, uma família do Meio-Oeste é perseguida por uma entidade fantasmagórica assustadora.

Crédito: Um Lugar Silencioso

Para quem é fã de terror, o filme “Um lugar silencioso” apresenta uma família que vive em uma fazenda nos Estados Unidos perseguida por uma entidade fantasmagórica assustadora. Para se protegerem, eles devem permanecer em silêncio absoluto, a qualquer custo, pois o perigo é ativado pela percepção do som. 

O thriller está disponível na Netflix e no Telecine também dá pra ver “Um lugar silencioso – Parte II”. A sequência está confirmada em um novo longa que deve ser lançado em breve. 

A voz do silêncio

Uma estudante com problemas de audição sofre com o bullying dos colegas e decide mudar de escola.

Crédito: A Voz do Silêncio: Koe no Katachi

Também disponível na Netflix está a animação japonesa “A voz do silêncio”. Inspirado nos animes, o filme mostra a história de um rapaz valentão que tenta fazer as pazes com uma garota surda que ele atormentava na escola. Ele acha que não merece o perdão, mas vai tentar fazer o que é certo.

Slam do Corpo

O Slam é uma batalha de poesias, um jogo, uma celebração. Slam do Corpo é o primeiro Slam de surdos e ouvintes do Brasil.

Crédito: lvys Rodrigues

O Slam do Corpo é a primeira batalha de poesias em Libras (Língua Brasileira de Sinais) e língua portuguesa do Brasil. É realizado pelo Coletivo Corposinalizante, grupo de trabalho que pesquisa e produz arte, aberto a jovens surdos e ouvintes que se interessam pela Língua Brasileira de Sinais. 

O coletivo realiza apresentações, encontros e oficinas em diferentes espaços. Para acompanhar a programação nas redes sociais


Mais do que notícias, trazemos um jeito de ver o mundo.
Assine e integre nossa comunidade: catarse.me/nosmulheresdaperiferia

Temas:

Sobre a autora:

Lívia Lima

Jornalista, mestre em Estudos Culturais e moradora de Artur Alvim, zona leste de São Paulo.