hhh

No dia 25 de julho é celebrado o Dia da Mulher Negra Latino-americana e Caribenha. Foi instituído, em 1992, no I Encontro de Mulheres Afro-Latino-Americanas e Afro-caribenhas, para dar visibilidade e reconhecimento a presença e a luta das mulheres negras no continente.

Celebrado há anos por movimentos sociais no Brasil, a data foi oficialmente reconhecida no país em 2014. Aqui, o dia faz homenagem e memória à Tereza de Benguela, mulher negra líder do quilombo de Quariterê, no Mato Grosso, que resistiu à escravidão durante duas décadas.

O coletivo Nós, mulheres da periferia comemora a data compartilhando experiências e vivências de suas integrantes que vivem a militância racial e a descoberta de sua negritude em uma sequência de crônicas.

Leia

“O quanto somos pretas”

“Quando me tornei negra” por Lívia Lima

“Restauração dos fios” por Semayat Oliveira