As chamadas para aderir ao PIX aparecem por todo lugar, na televisão, nos aplicativos, na internet. Quando novidades chegam assim, com uma certa pressão para serem aceitas, é normal gerar certa dúvida ou insegurança.

Por isso, detalhamos a seguir informações a respeito deste novo método de pagamento e transferência.

O que é o PIX?

O PIX é um novo serviço de pagamentos instantâneos criado pelo BC (Banco Central), que começou a funcionar em 16 de novembro e veio para desbancar o TED (Transferência Eletrônica Disponível), o DOC (Documento de Ordem de Crédito) e os boletos.

Além de substituir o dinheiro e esses métodos de pagamentos mais caros, a maior vantagem do PIX é que é um método gratuito – não cobra taxa!-, que funciona 24 horas por dia, 7 dias por semana, inclusive durante os feriados. E o melhor: o valor cai em questão de segundos na conta.

A opção é oferecida pelos bancos, fintechs e outras instituições financeiras e basta que os clientes dessas empresas possuam uma conta corrente, poupança ou de pagamento para poder cadastrar as chaves PIX.

O que é essa tal chave?

As chaves PIX são um atalho que contém todos os dados da sua conta. Para receber qualquer pagamento, não será necessário passar para terceiros muitas informações.

A chave vai te poupar de informar seu nome completo com CPF, números de banco, agência e conta, tipo de conta etc.

O processo de cadastro já teve início, mas não é obrigatório. Uma vez que você escolhe a sua chave – que pode ser seu número de telefone, e-mail, CPF, CNPJ ou aleatória -, ela é enviada ao BC.

Todo esse processo acontece de maneira criptografada, de ponta a ponta, com todas autenticações de segurança necessárias sob responsabilidade do BC.

Assim que registrada a chave, você poder receber pagamentos informando apenas um dado seu, como o email, por exemplo.

PIX para empreendedor

Para quem trabalha como autônomo, tem seu próprio empreendimento, essa opção traz vantagens. Para quem usa o Mercado Pago, por exemplo, é possível disponibilizar aos clientes um QR Code como nova forma de pagamento.

O ponto positivo é que o dinheiro cai na hora e as taxas são bem menores que as de cartões de débito e crédito. Além disso, o mesmo QR Code pode ser utilizado por qualquer aplicativo de pagamento compatível com a tecnologia.

Alguma dicas

Pouco se fala a respeito, mas vale lembrar que só é possível cadastrar uma chave em cada banco. Então, se em um banco o e-mail for a chave utilizada, em outro só será permitido usar outro dado, como o CPF, por exemplo.

Também é importante frisar que uma vez que o pagamento é instantâneo, não é possível cancelar a transferência.

É permitido também agendar pagamentos. A transferência não será realizada caso, na data agendada, não houver valor disponível em conta.

Até o momento não foi definido limite de transferência, mas as instituições têm a opção de fixar valor máximo.

Massa, né? Mas atenção!

Golpes têm sido relatados, com a disseminação de links, por exemplo, que são passados como isca para obter os dados das chaves cadastradas no PIX.

Por isso, nunca conceda informações por e-mail ou por Whatsapp.

E realize sempre dentro do ambiente do internet banking ou dos aplicativos suas transações.

Se quiser saber mais sobre o PIX, o canal NoFront – Empoderamento Financeiro apresenta em vídeo tudo sobre esse novo método de transferências e pagamentos.

Confira!

 

Leia também

Empreende Aí lança podcast sobre empreendedorismo periférico

Temas: