Você, pessoa branca, já parou para pensar sobre seus privilégios hoje? No episódio #12 do Conversa de Portão,  Bianca Pedrina, mulher branca, entrevista Mari Belmonte, outra mulher branca, e batem um papo sobre branquitude e racismo.

A troca de ideias provoca reflexão sobre como pessoas brancas, pelo simples fato de terem nascido com essa cor de pele, mesmo sendo pobres, só isso,  já as coloca em vantagem nessa sociedade racista.

Na entrevista, Mari aponta formas de como brancas e brancos  podem avançar desse lugar de conforto para uma postura mais propositiva e de real efetividade para a agenda anti-racista.

“Primeiro, não utilizar as pessoas negras como manual de consulta (…). Isso é errado, usar essas pessoas que já estão com fardo enorme, que já tem um trabalho diário de combater o racismo, como um lugar de consulta para ser uma pessoa melhor”, pondera Mari Belmont.

Esse podcast foi gravado em 20 de novembro, dia da consciência negra, nesta data, nas redes sociais, o assunto mais comentado era sobre o assassinato de um homem negro espancado até a morte por um policial e um guarda dentro do supermercado Carrefour, em Porto Alegre. João Alberto Silveira Freitas tinha uma história que foi interrompida por causa do racismo.

Por isso, passou da hora desse assunto começar a ser abordado por pessoas brancas no país em que a cada 23 minutos um jovem negro morre assassinado.  Dá o play no podcast e aproveite as dicas que Mari Belmont dá para começarmos a pensar sobre branquitude e racismo.

 

O conversa de portão é um podcast produzido pelo Nós, mulheres da periferia em parceria com UOL Plural, publicamos novos episódios toda terça-feira. Com produção de Carol Moreno, direção musical de Sabrina Teixeira Novaes, trilha sonora e edição de som por Sabrina e Camila Borges.

Leia também: 

 

Conversa de Portão #11: Como gerir o tempo e dar conta de tudo?

Temas: