O estudo Meu Ponto Seguro mostrou que a maior insegurança das mulheres brasileiras que andam nas ruas e utilizam transporte público é o momento de aguardar pelos ônibus em pontos com pouca movimentação ou iluminação.

A pesquisa foi realizada com mulheres de 25 estados brasileiros e do Distrito Federal, via redes sociais.

A investigação final apontou que 77% das mulheres, uma média de oito em cada dez, já se sentiram inseguras ao esperar transporte público em um ponto de ônibus na cidade em que residem.

Segurança pública

De acordo com o relatório, 61% das mulheres consideram que a iluminação nos pontos de ônibus não é adequada.

Para 62% das mulheres, pontos em locais pouco movimentados também geram medo e insegurança. Para esse grupo de mulheres, 39% têm receio de sofrerem assalto ou furto, e 29% citam importunação sexual como maior risco.

Oito em cada dez, já se sentiram inseguras ao esperar transporte público em um ponto de ônibus.

Crédito: Alexander Kovalev/Pexels

O que explica a reposta positiva de 38% delas ao serem questionadas se já pegaram um ônibus errado só para conseguir sair do local.

Em um dos relatos, uma mulher de Salvador, Bahia, conta que num ponto da orla de
Salvador, no início da noite, ela foi “abordada por um cara que tentou me segurar, consegui me soltar e entrar num ônibus qualquer”.

Vale destacar que existe uma lei, sancionada em 2016, que permite que mulheres e idosos desçam fora do ponto a partir das 22h às 5h.

Infelizmente, muitos movimentos relataram ao longo dos últimos anos a ineficiência da medida, considerando esta uma lei que mal saiu do papel.

A diligência prevê multa de R$ 360,00 para o condutor que desobedecê-la.

Insegurança e cuidados

A mulher lida com essas questões diariamente e não somente no momento de aguardar o transporte público.

De acordo com “Meu Ponto Seguro“, 69% das mulheres se sentem inseguras já no trajeto de casa ou do trabalho até o ponto de ônibus e vice versa.

Para amenizar os riscos, elas pensam no caminho mais seguro, mais iluminado, com maior circulação de pessoas, com menos terrenos baldios, além de pensar na roupa que vão escolher ao sair de casa.

Quem realiza a pesquisa

Meu Ponto Seguro” é uma pesquisa realizada pela Think Olga e a ASK-AR, e que teve como base a experiência adquirida durante a jornada “Cidades para Mulheres: O Caminhar é Feminino“.

A investigação sobre os principais desafios que as mulheres enfrentam nas ruas se deu com a participação e construção coletiva de especialistas, gestores públicos, ativistas e motoristas.

 

Leia também

“Diálogos de busão”: machismo x democracia