Por Redação | 30/09/2020

No quarto boletim ‘Curva das Periferias: Negros e pobres diante da pandemia de Covid-19 em São Paulo’, uma parceria dos portais Nós e Alma Preta , apresentamos o número de mortes, confirmadas e suspeitas de Covid-19, por faixa etária nos distritos da cidade que mais registraram óbitos desde o começo da pandemia.

Nestes distritos, a grande maioria das mortes está na faixa etária maior de 65 anos, como se apresenta o padrão da doença ao redor do mundo. Dentre os 5 distritos, o Jardim Ângela, na zona sul da capital paulista, é o que mostra uma distribuição ligeiramente maior, já que registrou 123 mortes na faixa dos 45 aos 64 anos, frente 230 mortes na faixa maior de 65 anos.

Enquanto no distrito de Sapopemba, na zona leste, foram registradas 120 mortes na faixa etária de 45 a 64 anos e 377 na faixa etária maior de 65 anos, a diferença entre as duas faixas etárias chega a ser três vezes maior. Segundo dados do Seade 2020, do Governo Estadual, nestes distritos, as pessoas com mais de 65 anos representam em torno de 5% a 7% de toda a população.

Galeria

Entenda de onde vêm os dados do Boletim Curva das Periferias

Vamos continuar monitorando o número de mortes e contaminados nos distritos da cidade e publicando boletins periódicos por aqui. Acompanhe as publicações #CurvaDasPeriferias nas nossas redes sociais e sites.

A partir da análise desses dados, os veículos Nós, mulheres da periferia e o Alma Preta produzem conteúdos e reportagens com o objetivo de contar as histórias por trás dos números e investigar as consequências da crise econômica e sanitária para a população negra e pobre.

Leia os boletins 1, 2 e 3

Distritos mais negros de SP têm maior número de casos de Covid-19

Desaceleração de mortes por Covid-19 é menor nos bairros da periferia

Desaceleração de mortes por Covid-19 é menor nos bairros da periferia

 

Temas: