Declarações de familiares de Geroge Floyd, assassinado no dia 25 de maio em Minneapolis, cidade norte-americana do estado de Minnesota, nos Estados Unidos, tiveram repercussão nos últimos dias. O maior destaque foi para Gianna Floyd, filha mais nova de George.

Em um vídeo que tem ganhado as redes sociais, ela aparece nos ombros de Stephen Jackson, ex-jogador de basquete que também era amigo de George. Enquanto caminham pela rua, Gianna diz: “o papai mudou o mundo”. Ele tem participado ativamente dos protestos pedindo justiça para o caso e o fim da violência contra a população negra.

Roxie Washington, mãe de Gianna, falou pela primeira vez em uma coletiva de imprensa que aconteceu na última terça-feira, em Minneapolis.

“Gianna não tem mais o seu pai. Ele nunca a verá crescer, se formar. Ele nunca a levará ao altar. Se ela tiver um problema e precisar de seu pai, ela não o terá mais. Eu estou aqui pela minha filha e por George, eu quero justiça para ele porque ele era bom. Não importa o que ninguém pensa, ele era bom’, disse Roxie.

Em 2018, Floyd se mudou de Houston, Texas, em busca de emprego e passou a trabalhar como motorista de caminhão. Ela e a filha ficaram na cidade natal e recebiam o apoio a distância.

De forma espontânea, ativistas colocaram no ar na última terça-feira uma campanha de financiamento coletivo com o objetivo de contribuir com os cuidados de Gianna Floyd daqui em diante. Até o momento, a campanha já recebeu a doação de mais de 43 mil pessoas e arrecadou $1.337.850.

Organizada por Tiffany Lee, o texto da campanha diz: “como comunidade, queremos nos unir neste momento de necessidade e ajudar a mãe de Gianna, Roxie Washington, doando tudo o que pudermos para ajudar a fornecer aconselhamento mental e de luto à filha mais novo de George Floyd, custear hospedagem e viagem para os processos judiciais e ajudar Roxie (mãe de Gianna) a garantir o bem-estar e a educação continuados de seus filhos”.

Leia também

Minneapolis, racismo brasileiro e a herança que vem do fogo

Temas:

Sobre a autora:

Semayat S. Oliveira

Semayat Oliveira, jornalista e moradora do Jardim Miriam (ZS)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *