Segundo pesquisa realizada pela Sempreviva Organização Feminista e a Gênero e Número, 50% das mulheres passaram a cuidar de mais alguém durante a pandemia. E o cenário para mulheres negras é ainda mais desafiador.

Pensando neste contexto, o Nós, mulheres da periferia acompanhou o dia a dia de duas mulheres que dedicaram os últimos meses da sua vida a preparar e distribuir marmitas diariamente, no jardim Miriam, zona sul de São Paulo.

Luana Vieira, estudante de direito e produtora executiva do Pagode Na Disciplina, e Letícia Santos, estudante de Relações Internacionais e também integrante do mesmo projeto que Luana, criaram uma rotina que precisou incluir: tarefas domésticas, cuidado com os filhos  e atendimento à comunidade.

Assista agora:

Este conteúdo faz parte do Quebrada Comunica, projeto de fortalecimento do campo da comunicação periférica da cidade de São Paulo idealizado pela Rede Jornalistas das Periferias em parceria com o Instituto de Referência Negra Peregum, Uneafro Brasil e o Fórum de Comunicação e Territórios.

Temas: