O morador da periferia não deixou de utilizar transporte lotado durante a pandemia.

Já no início do surto no país, quando o isolamento foi mais seriamente adotado, o Datafolha confirmava essa situação.

Em pesquisa do instituto publicada em abril, 54% dos entrevistados afirmaram que não poderiam realizar trabalho remoto durante o período de isolamento recomendado pelas autoridades.

E a situação, que já se arrasta por nove meses no Brasil, chega em novo momento crítico.

Sufoco no transporte lotado

Agora com o aumento do contágio no país, a preocupação com a contaminação só aumenta, sobretudo nas capitais mais populosas.

Pensando neste problema, o grupo de pesquisa Rede Mobilidade Periferias, em parceria com a Unifesp, desenvolveu o aplicativo Sufoco, com o objetivo de criar uma rede colaborativa de dados para ajudar a mapear e relatar problemas no transporte público.

Como funciona o app

Em São Paulo, neste período de pandemia, 35% dos paulistanos optaram por não utilizar ônibus lotado por medo de contaminação, segundo a pesquisa Viver em São Paulo – Especial Pandemia, divulgada em outubro pela Rede Nossa São Paulo.

Mapeamento Sufoco, disponível para dispositivos Android, pode garantir mais segurança.

O aplicativo faz um mapeamento de maneira colaborativa e em tempo real.

A partir disso, cria os alertas enviados por passageiros que estão em situação de aglomeração no transporte público de São Paulo.

O aplicativo está disponível para download na PlayStore e também pelo site Mapeamento Sufoco.

 

Leia também:

Covid-19 e o transporte público: ‘Essa semana eu me livrei e na próxima?’

 

 

Temas: