Segundo a pesquisa “Viver em São Paulo”, divulgada semana passada, no dia 24, pela Rede Nossa São Paulo e Ibope Inteligência, a fila de espera por uma vaga em creche pode chegar até mais de cinco meses na zona sul, o maior índice da cidade.

A pesquisa, realizada entre os dias 8 e 27 de dezembro do ano passado, com 800 moradores maiores de 16 anos, revelou que cerca de 4 em cada 10 entrevistados, que têm filhos ou moram com crianças que precisam de creche municipal, declaram que esperaram por vaga nos últimos anos.

Moradora leva filhas para escola em Perus (Créditos: Jéssica Moreira)

Confira a pesquisa completa no link.

Dentre as famílias que aguardaram por vagas, os moradores da zona sul precisaram esperar por cerca de 308 dias, em média. Na zona norte a espera foi de 283 dias, na zona oeste 286 e na zona leste, 257. O menor índice foi no centro da cidade, com fila de 235 dias. Apenas 6% dos entrevistados disseram que conseguiram uma vaga em menos de 1 mês.

Saúde

A pesquisa “Viver em São Paulo” também revelou que os moradores da cidade de São Paulo têm utilizado mais os serviços públicos de saúde. Foi o maior índice em dez anos, desde que a pesquisa começou a ser realizada. Em 2008, 64% dos entrevistados declararam utilizar algum serviço público de saúde, e nesta edição, 84% responderam que os utilizaram nos últimos doze meses.

As regiões que tiveram maior utilização do serviço público de saúde são a Zona Norte (89%), Leste (87%), Centro (81%), Sul (80%) e Oeste (76%). Os serviços que mais cresceram são a distribuição gratuita de medicamentos, serviços odontológicos e consultas com especialistas.

Este ano o Coletivo Nós, mulheres da periferia está realizando, com apoio do Fundo Brasil de Direitos Humanos, uma reportagem sobre o atendimento público ginecológico na cidade de São Paulo. Você tem interesse em participar com alguma informação ou depoimento? Envie um e-mail para contato@nosmulheresdaperiferia.com.br.

 

Temas:

Sobre a autora:

Lívia Lima

Jornalista, mestre em Estudos Culturais e moradora de Artur Alvim, zona leste de São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *