A chef de cozinha e historiadora Aline Chermoula trabalha com culinária africana há mais de 15 anos.

Aline busca resgatar com seus pratos a ancestralidade e a história desse povo no continente americano, mas não só.

Diáspora Africana

A chef explica que seus pratos possuem ingredientes que têm influência tanto das origens do continente africano quanto dos colonizadores.

É o que ela define como “culinária diaspórica”.

Por séculos, milhões de africanas e africanos foram enviados à força para serem escravizados no Brasil e em outros países das Américas.

Haiti, Colômbia, México, Venezuela e Estados Unidos são alguns deles.

A culinária pensada na diáspora africana é, portanto, muito ampla, uma vez que há elementos locais das Américas mas, com os africanos, também novos sabores e novas formas de cozinhar.

Para Aline, essa diversidade tem como principal causa “a intersecção de vários povos e culturas, reunidas aqui após os sequestros em massa realizados pelos colonizadores por vários países do continente africano”.

Ancestralidade

 

O Gumbo é um ensopado de quiabo com camarões e chouriço

Crédito: Reprodução Youtube

A chef também resgata sua própria identidade com ingredientes como azeite dendê, farinha de milho branco, tamarindo e amendoim.

Os ingredientes, segundo ela, remetem aos seus parentes e a sua história.

“Quando eu penso em cozinhar, automaticamente vêm as receitas ancestrais que foram passadas a mim pela minha mãe.”

A culinária afetiva se mostra presente “seja no cuscuz preparado cedo pra compor o café antes de ir trabalhar, feito com farinha de milho branco, ou no suco de tamarindo para refrescar o calor, até mesmo a moqueca de peixe em datas festivas”, diz.

Os pratos da chef

Todos os pratos e sobremesas da chef Aline Chermoula trazem muita africanidade em suas composições.

Atualmente, um dos pratos principais de Aline Chermoula é a Jambalaya, uma espécie de  paella típica de Nova Orleans.

Entre os outros pratos feitos pela chef estão a Cachupa, Muamba e os Bolinhos de Tapioca com Carne Seca e de Batata Doce com Costela.

Acompanhe os conteúdos da Chef Aline Chermoula no Youtube e no Spotify:

Chermoula é um sobrenome adotado pela estima da Chef a um tempero versátil utilizado no norte
da África

Crédito: Reprodução Youtube

 

Leia também

Contar nossas histórias é uma forma de curar as que foram silenciadas

 

Temas: