Hoje é o dia daquelas pessoas que decidiram dividir mais tempo juntas: na vida, nos finais de semana ou nas noites após o trabalho, é o Dia dos Namorados.

O Nós, mulheres da periferia acredita que existem inúmeras formas de estar em uma relação ou de não estar. Por isso, preparamos uma playlist de Rap e R&B com mulheres porretas que cantam desde o amor romântico até o amor próprio.

As letras falam sobre as vezes que os encontros amorosos afagam, afastam, acolhem ou machucam.

São mais de 40 musicas que, em inglês ou português, dialogam com as diversas formas de se sentir amada: por outra pessoa ou por nós mesmas.

Veja algumas as músicas que você escolhemos para você:

  • Jamila Woods – Holy

“Acordei nesta manhã com a minha mente em me amar”, diz o comecinho do refrão. Essa vai para as mulheres que estão vivendo a solitude, que estão sozinhas e compreendendo a importância e a potência de ser divina consigo mesma. É como diz a letra: “Meu copo está cheio, o que eu tenho é o suficiente. Ninguém me completa, não mexa com minhas coisas”.

 

  • Flora Matos – Bóra Dançar 

“One love, ai/Quem decide love, ai/Quero seu amor, par/Não mais do que dois, ah/
Quando você me chamar”. No flow, essa aqui dá para enviar para a pessoa que tá na sua e vice-versa, mas o lado de lá tá dormindo no ponto. Fica a dica.

 

  • Seinabo Sey – I Owe You Nothing 

“Eu não te devo nada, eu sou eu mesma e não estou confrontando, não, não, não. Eu não tenho que sorrir pra você,  não tenho que me mudar por você, não tenho que dançar pra você”. É assim que a música começa. Potente, não?

 

  • Lauryn Hill – I Get Out

Essa é uma das letras mais fortes de Lauryn – se é possível fazer essa escolha. Alguns dizem que essa composição da cantora tem relação com as grandes opressões que ela sofreu com a industria musical, até que resolveu se afastar. A música e forte e pode servir até como uma manifesto para muitas mulheres. Leia esse trechinho:

“…Eu simplesmente não me simpatizo mais
Porque agora eu entendo
Você só quer me usar
Você diz “te amo” e depois me abusa
Você nunca pensou que me perderia
Mas com que rapidez nos esquecemos…
Que nada é certo
Você pensou que eu ficaria aqui  me machucando?
Sua viagem de culpa simplesmente não está funcionando Reprimindo-me até a morte
Porque agora eu estou escolhendo a vida
Eu vou assumir o sacrifício
Se tudo tiver que ir, então vá
É assim que eu escolho viver…”

 

  • Tássia Reis – Se Avexe Não

Essa música é aquele abraço gostoso quando alguma coisa não está indo bem, sabe? Quando é preciso resolver algo e não saber por onde ou quando já tomamos uma decisão e precisamos nos controlar para não ceder e voltar atrás. Se Avexe Não é sobre buscar afeto em lugares seguros, como com a família e amigos. É sobre cortar relações tóxicas.

“Não que eu lhe deva dizer como é que se deve sofrer
Chore se quiser chorar
Corra se quiser correr
Mas saiba que amor quando é dor
Mais pra dor do que amor, vou dizer
Não vale o seu desgastar
Já que há tanto pra se viver”

 

  • Groove Theory – Tell Me

Essa aqui dá pra enviar para aquela pessoa que tá mexendo contigo, mas nada aconteceu ainda. Mas está tudo no ar? Já rolou uns encontros e tal, você continua focada na sua vida, mas uma hora dá aquela vontade de entender o que que tá pegando. Ai você manda uma mensagem dizendo assim: “Diga-me se você quer que eu te dê todo o meu tempo”. Entendeu?

 

  • Janelle Monáe – PYNK

Sem pedir licença pra ninguém, o último álbum de Janelle canta, dança e performa contra a heteronormatividade. O lançamento do disco Dirty Computer e os clipes de suas músicas navegam por uma infinidade de possibilidades de afetos. A cantora, que se assumiu pansexual, canta nesta música que:

“…Rosa é quando você está corando por dentro, baby
Rosa é a verdade que você não pode esconder, talvez…”

  • Karol Conka – Lalá

Essa é um protesto, muito justo e necessário. É  autoexplicativo:

“Dá pra perceber, existem vários
Falam demais, fingem que faz
Chega a ser hilário
Mal sabem a diferença de um clitóris pra um ovário
Dedilham ao contrário
Egoístas criando um orgasmo imaginário”

 

  • Chaka Khan – Ain’t Nobody

Quando as dicas da Karol Conka são seguidas dá pra cantar essa letra aqui bem feliz:

“Ninguém
Me ama melhor
Me faz feliz
Me faz sentir assim
Ninguém
Me ama melhor que você”

 

  • Lizzo – Truth Hurts 

“Não estou preocupada com um anel no meu dedo”, porque casar não é obrigatório e nem precisa ser tão “chato”, né?

 

  • Linn da Quebrada – Sereia A

Fazendo um desvio no gênero musical para contemplar a lindeza, força e necessidade dessa música:

“Serei-a no asfalto
Rainha do luar
Entrega o seu corpo
Somente a quem possa carregar
E, onde (h)á-mar, transbordar
Em água salgada lavar
E me levar
Livre, me love, me luta
Mas não se esqueça
Levante a cabeça
Aconteça o que aconteça
Continue a navegar”

 

  • Karol de Souza – Me deixe Viver

De boa consigo mesma, nessa letra Karol versa sobre a importância de não depositar a felicidade no fato de ter muito dinheiro ou um “corpo no padrão”. O negócio é ser feliz e só.

“Bunda grande, eu tô bem
Celulite não é minha preocupação
Quando eu quero, ele vem
Reciprocidade é o xis da questão”

 

  • Erykah Badu – Tyrone

E quando você se relaciona com alguém que nunca tem tempo para ti ou quase nunca se dedica para cuidar da relação. Todos os amigos dele parecem prioritários, menos você. E tu é quem segura as pontas de tudo. Mas na hora do sexo, humm, lá está a disposição do ser humano, né? Pra essa situação a rainha Erykah dá o seguinte conselho:

“Então, de fato, eu acho melhor você ligar para Tyrone (ligue para ele)
E diga a ele que venha e ajude você a pegar suas coisas (vamos lá, vamos lá, vamos lá..)
Você precisa ligar para Tyrone (ligar para ele)
E diga a ele que eu disse pra ele vir”.

Ouça na íntregra no nosso Spotify:

Temas:

Sobre a autora:

Semayat S. Oliveira

Semayat Oliveira, jornalista e moradora do Jardim Miriam (ZS)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *