Por Redação | 28/07/2020

As mulheres negras  são 55,6 milhões e chefiam 41,1% das famílias brasileiras. No entanto, alcançam apenas 2% de representação nas instâncias institucionais. Mais uma eleição está por vir e, para contribuir nas reflexões sobre a temática, a Fundação Rosa Luxemburgo, com o apoio do Ocupa Politica, Mahín, Mulheres Negras Decidem e Coalizão Negra por Direitos realizam o debate “Mulheres Negras e política: a presença que faz a diferença”, na quinta-feira (30), às 19h, no Facebook e Canal do Youtube da organização.

O debate traz a importância da ocupação da institucionalidade a partir de uma perspectiva antirracista, feminista popular e periférica e de defesa de direitos com a participação de Benedita da Silva, Áurea Carolina, Erica Hilton, Jô Cavalcante, Nilma Bentes, Selma Dealdina, Célia Xakriabá e Vilma Reis, com mediação de Christiane Gomes, coordenadora de projetos da Fundação Rosa Luxemburgo – Brasil e Paraguai.

Mulheres na linha de frente

No contexto das ações de combate ao avanço da pandemia do Covid-19, são as mulheres que, cotidianamente, desenvolvem ações de resistência. Se não fossem as lutas e as ações das mulheres negras, a situação no Brasil poderia ainda mais grave.

Porém, a pouca representação na política institucional está mudando. A cada eleição aumenta o número de mulheres, que dedicam seu trabalho à fundamental disputa nestes espaços e à construção de políticas públicas que façam frente ao desmonte dos direitos sociais que, justamente, atingem em cheio as mulheres negras.

 Serviço
Debate: Mulheres Negras e política- a presença que faz a diferença
Data: 30/7
Hora: 19h

Mulheres Negras e política- a presença que faz a diferença

Qui 30/07/2020 às 19:00

Mais informações: https://rosalux.org.br/mulheres-negras-e-politica-a-presenca-que-faz-a-diferenca/

As informações acima são de responsabilidade do organizador do evento e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.

Temas: