Neste mês de março, as Fábricas de Cultura programaram atividades gratuitas para promover reflexões sobre temas que fazem parte do dia a dia feminino: mercado de trabalho, situação das mulheres nas periferias, padrões do corpo, feminismo, artistas negras jovens e outros. O objetivo é reforçar debates já existentes na periferia e levá-los para dentro das Fábricas. Vejam os destaques separados por zona e unidade:

Carolina Teixeira Itzá na Fábrica de Cultura do Capão Redondo na abertura da exposição Corpa Negra

Carolina Teixeira Itzá na Fábrica de Cultura do Capão Redondo na abertura da exposição Corpa Negra. Crédito: Divulgação

Zona Norte

Fábrica de Cultura Jaçanã

9 de março, às 15h
Páginas Pretas: Mulheres negras que marcaram a história
Bate papo sobre o machismo e o racismo em nossa sociedade, para entrar em contato com as histórias de vida de grandes mulheres que pensavam a frente de sua época.

9 de março, às 15h
As hiper mulheres
Exibição da Vídeo nas Aldeias (VNA), um projeto que apoia as lutas dos povos indígenas no fortalecimento de suas identidades, patrimônios culturais e territoriais.

Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha

8 de março, às 15h
O potencial da mulher nos dias de hoje
Um encontro de mulheres sobre as conquistas e a posição da mulher nos dias atuais.

Fábrica de Cultura Brasilândia

8 de março, às 14h
Roda de conversa: a padronização do corpo da mulher ao longo dos séculos
Palestra aborda o padrão de beleza feminino que foi alterado de acordo com o contexto histórico, permeando a visão padronizada e sua imposição feita na sociedade.

16 de março, às 10h
Uma resenha sobre as minas
Em parceria com o Instituto Sou da Paz, para discutir sobre a situação das mulheres na periferia, debatendo formas de opressão contra as meninas, principalmente, as moradoras da periferia.

31 de março, às 15h
Roda de conversa: feminista, eu
Bate-papo sobre o feminismo em que será debatida a importância do empoderamento feminino.

Zona Sul

Fábrica de Cultura Cpão Redondo

7 a 26 de março
Exposição Corpa NegraDia
Aborda por meio da tecelagem e da pintura, sobre poetas negras jovens contemporâneas, que residem e atuam na periferia de São Paulo. As interferências de arte têxtil são de Marta Mursa, e as artes foram confeccionadas pela artista visual Carolina Teixeira -Itzá (foto Carolina Teixeira Itzá na Fábrica de Cultura do Capão Redondo na abertura da exposição Corpa Negra – crédito da imagem Lucy Diogo).

Fábrica de Cultura Jardim São Luis

8 de março, às 9h30 e às 19h30
A imersão da mulher no mercado de trabalho e na universidade
Bate papo para discutir as dificuldades enfrentadas e a inserção da mulher negra na luta por espaços igualitários na universidade e no mercado de trabalho.

Para mais informações sobre a programação, acesse o site: www.fabricasdecultura.org.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *