"aline chermoula e sua culinária africana"

+ + +

histórias

+ + +

A CHEF DE COZINHA E HISTORIADORA ALINE CHERMOULA TRABALHA COM CULINÁRIA AFRICANA HÁ MAIS DE 15 ANOS

+ + +

Aline busca resgatar com seus pratos a ancestralidade e a história do povo africano no continente americano, mas não só.

+ + +

Seus pratos possuem ingredientes que têm influência tanto das origens do continente africano quanto dos colonizadores. É o que ela define como “culinária diaspórica”.

+ + +

Por séculos, milhões de africanas e africanos foram enviados à força para serem escravizados no Brasil e em outros países das Américas.

+ + +

A culinária pensada por ela é, portanto, muito ampla, uma vez que há elementos locais das Américas mas, também novos sabores e novas formas de cozinhar africanos.

+ + +

Para Aline, essa diversidade tem como principal causa “a intersecção de vários povos e culturas, reunidas após os sequestros em massa realizados pelos colonizadores”.

+ + +

A chef também resgata sua própria identidade com ingredientes como azeite dendê, farinha de milho branco, tamarindo e amendoim.

+ + +

“Quando eu penso em cozinhar, automaticamente vêm as receitas ancestrais que foram passadas a mim pela minha mãe”

+ + +

Atualmente, um dos pratos principais de Aline Chermoula é a Jambalaya, uma espécie de paella típica de Nova Orleans.

+ + +

Entre os outros pratos feitos pela chef estão a Cachupa, Muamba e os Bolinhos de Tapioca com Carne Seca e de Batata Doce com Costela.

+ + +

No Episódio #30 do Conversa de Portão, a chef Aline Chermoula contou sobre sua pesquisa com a cozinha de resistência.

+ + +

Aline também falou sobre o lugar do afeto na culinária e seu papel para guardar a memória de um povo.

+ + +

Quer ouvir na íntegra esse bate-papo com a Aline? Só acessar nosso podcast (click aqui)

+ + +

À pedido do Nós, mulheres da periferia, Aline separou três receitas com ingredientes africanos que você pode fazer em casa. Confira no link 

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Acesse