Hoje, dia 2 de outubro, é relembrado os 25 anos do Massacre do Carandiru, que deixou 111 homens presos por agentes do Estado em 1992, dentro da Penitenciária do Carandiru, que ficava localizada na zona norte de São Paulo, uma das maiores tragédias recentes do nosso país. Após 25 anos, nenhuns dos 74 policiais militares indiciados foram condenados, e apenas 43 famílias receberam indenizações.

Como forma de denúncia e apoio às vítimas, no próximo sábado, 7 de outubro, acontece o  “Encontro em memória dos 25 anos do Massacre do Carandiru”, na Favela do Moinho, centro da cidade, organizado pelos coletivos Desentorpecendo A Razão, Autônomo Herzer, Passe Livre São Paulo, Secundaristas e Campanha 30 Dias Por Rafael Braga.

Presídio do Carandiru - Créditos: Maurício Sapata (Flickr -Creative Commons)

Presídio do Carandiru – Créditos: Maurício Sapata (Flickr -Creative Commons)

No evento estarão presentes mães e familiares vítimas da violência do Estado. A proposta é construir um momento de fortalecimento dos laços e relações e também trocar experiências e impressões a partir das lutas que resistem à violência estatal, das estudantes secundaristas às pessoas encarceradas, das mães de mortos pela polícia às usuárias de drogas violentadas na cracolândia.

Além de espaço aberto para relatos e depoimentos, acontecerão ao longo do dia apresentações artísticas, incluindo a exibição da trilogia de vídeos “Terra das Chacinas – 25 anos do Massacre do Carandiru”, da Agência Pavio. Os coletivos estão arrecadando doações para custear o transporte das famílias e um almoço coletivo no evento, além de absorventes e fraldas para presidiárias e moradoras do Moinho. Confira a programação completa:

“Encontro em memória dos 25 anos do Massacre do Carandiru”

Data: 7 de outubro de 2017.

Local: Favela do Moinho – Rua Dr. Elias Chaves n.° 20 – Bom Retiro.

Programação:

11h – Abertura com Alessandra da Favela do Moinho e familiares do jovem Leandro, assassinado em junho de 2017 pela polícia.

12h – Almoço coletivo – traga sua contribuição 🙂

13h – Microfone aberto com convidadas: Suzane Jardim – Campanha 30 dias por Rafael Braga,

Juliana Paula – coletivo DAR, Coletivo Autônomo Herzer, Tempestade – passou pelo sistema e lá batalhou por melhorias para mulheres no semiaberto

15h – Funk Secundas e Slam das Minas

17h – RAP com grupo Comunidade Carcerária – sobreviventes do Carandiru

18h30 lançamento e projeção da trilogia de vídeos “Terra das Chacinas – 25 anos do Massacre do Carandiru”, da Agência Pavio.

19h – Encerramento

Sobre a autora:

Lívia Lima

Jornalista, mestre em Estudos Culturais e moradora de Artur Alvim, zona leste de São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *